Botafogo é dominado pelo Ceará, mas segura o 0 a 0 e mantém distância do Z4

Foi com muito sofrimento, mas o Botafogo empatou com o Ceará em 0 a 0, no Castelão, e recuperou a 12ª colocação do Campeonato Brasileiro. Os cearenses desperdiçaram um pênalti, com Arthur Cabral. O terceiro empate seguido levou o alvinegro a 35 pontos, mantendo em quatro a distância para o adversário, que é o primeiro da zona de rebaixamento, ainda com um jogo a menos.

Mesmo depois de quatro jogos de invencibilidade, Zé Ricardo decidiu fazer mexidas consideráveis na equipe. Gilson e Rodrigo Pimpão ganharam as vagas dos barrados Moisés e Erik. Pouco adiantou no início, quando o Ceará rapidamente dominou a partida.

Macaque in the trees
Joel Carli briga no alto com Arthur Cabral, que desperdiçou um pênalti no primeiro tempo (Foto: LC Moreira/Lancepress!)

Tanto pelo chão quanto na ligação direta para Arthur Cabral, o time de Lisca chegava com facilidade ao ataque. O alvinegro ficou à espera de erros que permitissem contra-ataques, e conseguiu respirar a partir dos 15 minutos, mas seguiu inferior ao adversário.

Melhora no segundo tempo

Aos 18, Juninho Quixadá deixou Carli no chão, e só foi parado por carrinho preciso de Igor Rabello. Dez minutos depois, o zagueiro foi vilão ao afastar um cruzamento no pé de Quixadá, que acabou derrubado por Lindoso na área. Na cobrança, Arthur chutou para fora, à direita de Saulo.

O pênalti perdido não animou o Botafogo, tampouco desanimou o Ceará. O time de Zé Ricardo só teve a comemorar com o empate parcial, após primeiro tempo em que sequer fez o goleiro Éverson trabalhar. O cenário, no entanto, mudou radicalmente na etapa final.

Com menos de um minuto, Pimpão cruzou, Kieza resvalou e o goleiro cearense fez ótima defesa. Com a entrada de Marcelo no lugar do amarelado Matheus Fernandes, o técnico aumentou o poder de marcação alvinegro no meio-campo. Os botafoguenses se instalaram no campo de ataque e, em dez minutos, já haviam levado mais perigo do que nos 45 iniciais.

Mas não demorou para o Botafogo voltar a viver momentos de drama. Quixadá marcou de cabeça aos 20, só que o auxiliar assinalou corretamente o impedimento. Aos 31, Saulo brilhou para garantir o empate. O goleiro voou até o ângulo para salvar cabeçada de Ricardo Bueno. E ainda pegou o rebote no susto.

Ceará: Éverson, Samuel Xavier, Tiago Alves, Brock e Felipe Jonatan; Edinho, Richardson, Felipe Azevedo, Juninho Quixadá (Pedro Ken), Calyson e Felipe Azevedo (Ricardinho); Arthur Cabral (Ricardo Bueno). Botafogo: Saulo, Luís Ricardo, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson (Moisés); Rodrigo Lindoso, Bochecha (Erik) e Matheus Fernandes (Marcelo); Luiz Fernando, Kieza e Rodrigo Pimpão. Juiz: Raphael Claus (SP). Cartões amarelos: Tiago Alves, Matheus Fernandes, Rodrigo Pimpão e Joel Carli.