Mutu é condenado a pagar 17 milhões de euros ao Chelsea

Um dos maiores astros do futebol romeno, o ex-atacante Adrian Mutu, foi condenado nesta terça-feira (2) pelo Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) a pagar multa de 17 milhões de euros ao Chelsea, seu antigo clube, por ter sido flagrado em um exame antidoping em 2004.

Há 14 anos, quando ainda era atleta dos "Blues", Mutu foi reprovado em um teste de drogas, que comprovou a presença de cocaína em seu organismo. Com o resultado positivo do exame, o clube londrino liberou o jogador e entrou na Justiça para conseguir uma indenização de 17 milhões de euros, alegando que Mutu teria violado uma cláusula do contrato "sem causa razoável".

O jogador, por sua vez, alegou que não possui condições financeiras para pagar a quantia. Atualmente, Mutu trabalha como treinador das categorias de base do Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos.

Na briga judicial, que começou em 2005, Mutu esgotou todos os seus recursos, e sua última tentativa de evitar o pagamento da multa foi no TEDH, que rejeitou o apelo.

O romeno chegou ao Chelsea em 2003, por 22,3 milhões de euros, após uma boa passagem pelo Parma. No entanto, sua difícil relação com o então treinador José Mourinho, a falta de gols e as polêmicas extracampo dificultaram sua passagem pelo futebol inglês.

Mutu é uma figura muito conhecida no futebol italiano, tendo passagens por Fiorentina, Juventus, Inter de Milão, Hellas Verona e Cesena. O ex-jogador é um dos maiores do futebol romeno, dividindo com Gheorghe Hagi o posto de maior artilheiro da história da seleção de seu país, com 35 gols.