Jornal do Brasil

Esportes

Atletismo russo recorre à CAS contra suspensão da IAAF por doping

Jornal do Brasil

A Federação de Atletismo da Rússia entrou com um recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) para cancelar a sua suspensão, provocada por vários casos de doping, de competições de atletismo.

O país foi afastado dos eventos pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) em novembro de 2015, após uma investigação da Agência Mundial Antidoping (Wada) apontar uso generalizado de substâncias proibidas pela elite dos competidores russos.

O novo recurso à CAS se dá na sequência da decisão da Wada, anunciada na semana passada, de restabelecer a Agência Antidoping da Rússia, depois do comprometimento com dois critérios: admissão de irregularidades pelo governo russo e acesso a provas armazenadas no laboratório antidoping de Moscou.

 

A IAAF disse à agência de notícias The Associated Press que recebeu uma carta do presidente da Federação de Atletismo da Rússia, Dmitry Shlyakhtin, pedindo para a equipe nacional ser reintegrada "o mais rápido possível", e apontando que a decisão da Wada da semana passada deveria estabelecer um precedente.

"A IAAF tem, desde o início, sido clara em seus requisitos para reintegração e nos processos supervisionados por uma força tarefa independente", disse a IAAF em um comunicado. "Nós estamos muito confiantes da nossa posição legal", acrescentou.

"Vamos usar os recursos necessários para defender de forma robusta qualquer recurso contra a suspensão da federação russa, seja na CAS ou em outro lugar. O único caminho para a federação russa alcançar a reintegração é satisfazer as condições de reintegração que satisfaçam o Conselho da IAAF", concluiu a entidade.

 

Apesar da punição, alguns dos principais nomes do atletismo russo continuam participando de eventos internacionais. Desde os Jogos Olímpicos de 2016, quando apenas um russo foi autorizado a competir, a IAAF certificou dezenas de outros para competirem como "Atletas Neutros Autorizados" depois de examinar seus históricos de exames antidoping. Tais atletas ganharam seis medalhas no Mundial do ano passado, incluindo o ouro no salto em altura com Maria Lasitskene.

 



Recomendadas para você