PCdoB oficializa candidatura de Manuela D'Ávila à Presidência da República

O PCdoB oficializou nesta quarta-feira (1º) a candidatura de Manuela D'Ávila à Presidência da República. Esta é a primeira vez desde 1989 que o partido não integrará uma chapa encabeçada pelo Partido dos Trabalhadores. Nas últimas sete eleições presidenciais, a sigla apoiou as candidaturas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

"Nossa candidatura é a construção da saída da grave crise que nosso país enfrenta", afirmou Manuela, deputada estadual no Rio Grande do Sul. "Seremos aqueles que dialogaremos com as mulheres e homens e diremos que é inadmissível abrir mão do nosso país e deixar de votar", acrescentou a gaúcha de Porto Alegre.

>> Candidata à Presidência pelo PCdoB, Manuela D’Ávila diz que esquerda pode se unir 

Manuela também fez questão de defender o ex-presidente Lula, preso desde o dia 7 de abril. "Lula está preso porque lidera as pesquisas. Lula está preso porque, solto, venceria as eleições. Nossa candidatura sempre carregou o Lula Livre, porque não queremos só a liberdade dele, queremos fazer valer a Constituição", frisou. A candidata do PCdoB voltou ainda a destacar a 'unidade de esquerda', que, para ela, "deve ser defendida até o último dia possível".

Durante a convenção, Flávio Dino, governador do Maranhão e um dos principais quadros da sigla, fez um discurso descontraído e saudou a "coragem" de Manuela ao "se submeter à voracidade dos que acham que são os donos da História". 

"Podem ser os donos do capital, mas não são os donos da História. Tem que ter ousadia para enfrentar a hegemonia do que foi construído nos últimos tempos. Ela entra para o panteão dos heróis do nosso partido", disse à plateia formada majoritariamente por militantes da sigla. 

Dino também destacou a sua campanha à reeleição pelo governo do Maranhão e disse estar otimista. "Não existe eleição ganha ou perdida antecipadamente. Quero dividir com vocês um otimismo moderado, com os pés assentados na análise da situação concreta", disse. 

A convenção que oficializou a candidatura de Manuela D'Ávila foi realizada em um auditório da Câmara dos Deputados, em Brasília.

Perfil

Manuela D'Ávila nasceu em Porto Alegre, no dia 18 de agosto de 1981. Filiou-se ao PCdoB em 2001 e foi eleita a mais jovem vereadora da capital gaúcha três anos depois, em 2004, com 9.498 votos. Foi deputada federal pelo Rio Grande do Sul por dois mandatos consecutivos, de 2007 a 2015, e liderou a bancada do partido na Câmara.

Nas últimas eleições, Manuela foi eleita deputada estadual no Rio Grande do Sul com 222 436 votos. Apresentou projetos importantes, defendendo o direito das mulheres, LGBTs, trabalhadores e primeira infância.

>> Filha de Manuela D'Ávila, Laura faz sucesso na campanha eleitoral

Manuela D'Ávila é jornalista e tem uma filha, Laura, de dois anos. Como pré-candidata à Presidência, intensificou as viagens pelo país participando de atos, debates, sabatinas de Norte a Sul.