PDT já não conta mais com apoio de comunistas

Um dos primeiros partidos a cortejar a pré-candidata do PCdoB, Manuela D’Ávila, para tentar conquistar o apoio dela e de seu partido à candidatura à Presidência de Ciro Gomes, o PDT, na véspera da convenção do PCdoB, já não tem a menor esperança de conseguir a adesão de última hora dos comunistas à sua chapa. O presidente do PDT, Carlos Lupi, acredita ser “pouco provável” que o PCdoB decida, na convenção nacional de amanhã, lançar o nome de Manuela D’Ávila como vice na chapa com o candidato Ciro Gomes, de seu partido. 

“O PDT fez o convite acreditando que, com o PCdoB, seria possível formar uma frente de esquerda capaz de chegar ao segundo turno. Agora, depende deles”, diz Lupi. 

O ex-ministro do Trabalho, no entanto, reconhece que dificilmente o convite do PDT será aceito porque o PCdoB foi o único partido a fazer o chamamento e ter declarado que renunciaria se todos os partidos da esquerda aceitassem sentar para dialogar pelo lançamento de uma chapa única. Como isso não aconteceu, o PCdoB entendeu que não seria justo retirar sozinho a candidatura própria. 

“É muito pouco provável (a renúncia de Manuela) porque cada partido está com suas candidaturas colocadas. Exigir a renúncia de um único partido em favor de outro é no mínimo indelicado. Então, o que nos cabe é aguardar”, completa o pedetista.