Eymael defende no máximo 20 ministérios

O candidato do PSDC à Presidência da República, José Maria Eymael, disse hoje (25) que, se eleito, reduzirá para cerca de 20 o número de ministérios. Eymael voltou a afirmar que, entre as pastas que farão parte de seu governo, estarão as da Família e da Segurança Pública. Eymael deu as declarações durante debate no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

De acordo com o candidato do PSDC, “é impossível coordenar 39 ministérios” e, por isso, é preciso “uma redução drástica” nesse número. Apesar da necessidade de diminuir o número de pastas, Eymael defendeu a da Família e da Segurança Pública como importantes.

“O compromisso maior da democracia cristã é com a defesa dos valores da família. Honra, caráter, dignidade, respeito aos mais velhos, solidariedade. E com o atendimento pleno das necessidades da família, [que são] emprego, educação, saúde. Por isso, nós queremos criar o Ministério da Família”, disse ele. O presidenciável citou como exemplo de política pública da pasta a educação inclusiva, contemplando crianças com deficiência.

Com relação à segurança, Eymael afirmou que é preciso uma política nacional, com integração entre os poderes federal, estadual e municipal. “Hoje é tudo desgarrado, cada um para um lado. Não existe compartilhamento de dados, não há intervenção, não há um relacionamento mundial com as grandes democracias.”

O candidato também voltou a dizer que o primeiro compromisso de seu governo é cumprir e fazer cumprir a Constituição. Além de apresentar suas propostas, ele respondeu a perguntas de conselheiros do Confea. No caso de um questionamento sobre projeto de lei que reconhece a engenharia, a agronomia e a arquitetura como carreiras de Estado, disse que há “absoluta necessidade de carreiras de Estado, e que a engenharia é uma delas”.

O Confea convidou todos os presidenciáveis para discursar e responder a perguntas. Segundo informações da assessoria de comunicação da autarquia, até o momento, somente Eymael respondeu ao convite.