Haddad diz que benefícios fiscais para zona sul podem durar 30 anos 

Em visita a Cidade Dutra, bairro da zona sul de São Paulo próximo a Diadema, Fernando Haddad (PT) falou com mais detalhes sobre o plano de incentivos fiscais que também pretende estender à Avenida Cupecê, que liga São Paulo à cidade vizinha. O candidato do PT à prefeitura da capital também havia previsto o benefício para o Complexo Viário Jacu Pêssego e a região da zona norte.

"Não pagarão IPTU e pagarão o ISS com alíquota mínima, que é de 2%. A redução é de 60%. Vamos estudar os setores interessados em voltar para São Paulo. Perdemos muitas empresas para o entorno da cidade e o que nós queremos? Pactuar um prazo que seja atraente para as empresas", explicou Haddad em entrevista coletiva.

O candidato petista ainda comentou protesto que enfrentou ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na noite de quinta-feira, em evento na Uninove. Fernando Haddad e Lula foram alvo de manifestações de militantes do PSOL e estudantes que criticavam o julgamento do Mensalão. Haddad atrelou o protesto ao concorrente do partido socialista, Carlos Gianazzi.

Segundo o petista, seu programa de benefícios pode ser de até três décadas. "Se precisarmos estender esse prazo por 10, 20 ou 30 anos, não temos problemas em fazer. Desde que a empresa se comprometa a se instalar aqui. A isenção não será dada pela sede, mas pelo número de postos que ela vai gerar. Queremos sede e emprego aqui. O número de postos de trabalho vai dar direito à isenção".

"Não penso que seja adequado, não faria isso com o Gianazzi. Não vou colocar uma pessoa do PT para ficar falando, não foi elegante da parte do Gianazzi. Nunca fiz e nunca promovi esse tipo de coisa. Serra fez comigo, Gianazzi também. Quem adota esse procedimento acaba não contribuindo. Você organiza um evento com 500 pessoas celebrando alguma coisa e vai alguém protestar? Não tem cabimento".