MG: primo de Joaquim Barbosa usa popularidade para angariar votos 

O desempenho do relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, tem impulsionado a candidatura de um postulante a vereador na pequena Paracatu, cidade do interior de Minas Gerais, onde o ministro nasceu. Jurandir Dario Gouveia Damasceno, conhecido como Dario Alegria, é primo de primeiro grau de Barbosa e usa o parentesco para angariar apoio a sua eleição.

Ex-jogador do Palmeiras e do Flamengo, Dario Aleluia afirmou em entrevista ao Terra que foi incentivado pelo primo ilustre a disputar uma vaga na Câmara de Vereadores pelo PSB. "No dia 5 de maio eu fui na casa do Barbosa em Brasília para o aniversário da mãe dele. Eu disse que pretendia concorrer a vereador e ele me deu muito apoio. Me falou que era para eu concorrer para atuar pela comunidade, principalmente pelos negros, que os negros precisam mostrar a cara", disse o candidato, que disputa pela segunda vez o cargo de vereador.

Em 2008, ele também foi candidato, mas disse que o fracasso nas urnas foi porque praticamente não pediu votos. "Dessa vez é diferente, estou trabalhando muito". Questionado se o parentesco com o ministro poderia ajudar no pleito ele não hesitou. "Claro que me ajuda. O povo de Paracatu tem muito orgulho do Joaquim Barbosa e eu quero honrar o nome da família", afirmou Dario, que é primo por parte de pai do relator do mensalão.

No site de campanha do candidato, um dos destaques é uma frase de Barbosa em homenagem ao primo: "Você Dario tem que ser um bom vereador, pois você servirá de exemplo para todos como foi no futebol", diz o depoimento. Segundo Dario, a mensagem foi escrita no dia do encontro com o ministro em Brasília. "Ele já falou em outras oportunidades sobre mim, inclusive para uma revista da região. Temos um bom relacionamento".

Ele conta que, caso seja eleito, vai apresentar uma proposta na Câmara de Vereadores para a instalação de uma estátua na praça central da cidade em homenagem a Joaquim Barbosa. "Ele é um orgulho não só para a nossa cidade, mas para o Brasil pela retidão, pela ética e pelo trabalho exemplar. Ele mostra que nós negros podemos conquistar todos os espaços que queremos", afirmou ao elogiar a atuação do relator do mensalão na condução do julgamento.

Barbosa deixou a pequena cidade aos 16 anos de idade, mas, segundo o primo, nunca perdeu o contato com a sua gente. "Ele é uma pessoa muito inteligente, toca violino, fala vários idiomas, tem livros publicados, mas nunca perdeu a humildade. Sempre que visita Paracatu vai na minha casa, é muito humilde", conta o primo. Ele ainda diz que ultimamente ficou mais difícil as viagens de Barbosa à cidade, por causa dos compromissos no STF.

"Com o julgamento do mensalão é impossível ele vir para cá. Se só no aniversário da mãe em Brasília ele chegou acompanhado de dois carros com segurança, imagina agora. E ele também tem o problema de coluna", justifica. Segundo Dario, ano passado foi feita uma homenagem a Barbosa na Casa de Cultura da cidade, mas ele não pode comparecer devido a uma cirurgia agendada para o mesmo dia em São Paulo.

Representante da comunidade negra

Atuante do movimento negro, Dario Alegria quer ser vereador para lutar pelo direito dos negros e das comunidades quilombolas da cidade. "Mais de 60% da população de Paracatu é negra, mas até hoje, em 214 anos de emancipação, a cidade elegeu apenas dois vereadores negros. Precisamos mudar isso", cobra. Ele ainda diz que entre suas propostas está a valorização do esporte como forma de incentivar o desenvolvimento dos jovens longe das drogas e da violência.

Dario Algria trabalhava no Museu Histórico de Paracatu, mas se afastou do cargo no início da campanha eleitoral. Aos 68 anos, ele conta que não se mantém longe dos gramados, já que também agencia novos jogadores junto a times de futebol.