Preso, candidato a vereador quer concorrer da cadeia em RO 

Um candidato a vereador de Vilhena, cidade a 699 km de Porto Velho (RO), tem a intenção de disputar as eleições para a Câmara de Vereadores do município após ter sido preso no último dia 5 de março. Udo Wahlbrink (PT), presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Vilhena e Chupinguaia, e outras duas lideranças locais, foram presos por incitar a invasão de terras.

O sindicalista foi detido quando participava de uma reunião com trabalhadores rurais no auditório da Prefeitura de Vilhena. Segundo a Polícia Civil, ele portava uma arma de fogo no momento da abordagem e está encarcerado na Casa de Detenção da cidade. O vereador de Chupinguaia Roberto Ferreira Pinto e o presidente da Associação de Posseiros, Pedro Arrigo, também estão presos.

No dia 23, a Justiça negou o habeas corpus apresentado pelo ruralista. A ação será julgada agora pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na tarde desta segunda, o advogado de defesa, Romilson Fernandes da Silva, foi procurado diversas vezes, mas o telefone estava desligado.

O presidente municipal do PT em Vilhena, Arli Schutz, afirmou que a candidatura de Udo Wahlbrink foi deferida pela Justiça Eleitoral e será mantida. "Acredito na inocência dele. Não existe nenhuma prova até hoje de que ele tenha feito alguma do que é acusado", assegurou.

No ponto de vista do eleitorado, o dirigente acredita que a prisão não prejudicará o candidato no pleito de 7 de outubro porque o segmento representado por ele manteve o apoio. "A base rural o apoiará com certeza. Acreditamos no trabalho que ele tem realizado", garantiu a presidente interina do sindicato, Eliane Ritter, que substitui Udo.