Para Serra, prefeitura deve controlar boom imobiliário na Vila Sônia

O ex-governador de São Paulo e atual candidato à prefeitura da capital, José Serra (PSDB), previu na tarde desta quarta-feira uma onda de lançamentos imobiliários na região da Vila Sônia. Segundo ele, a inauguração de novas estações de metrô da linha 4-amarela e do monotrilho vai favorecer o desenvolvimento, mas pode ocasionar enchentes. "Isso vai trazer um boom imobiliário que precisa ser muito bem ordenado para não se reproduzir problemas de outras regiões, como impermeabilização (do solo) e engarrafamentos", disse.

Serra fez uma caminhada na mesma região em que executou obras quando foi prefeito e governador. Uma delas foi a construção de um piscinão na área banhada pelo córrego Pirajussara, em 2010. Desde então, os alagamentos deixaram de ser uma rotina na região. Na visita ao local, o tucano aproveitou para fazer fotos e gravar cenas do seu programa eleitoral. O candidato disse ainda que deve fazer um projeto de intervenção urbana no bairro que inclui um parque municipal na atual Chácara do Jóquei.

Na primeira parada do compromisso de campanha, Serra também foi à casa do aposentado Djalma Kutxfara, que em 1996 instalou um sistema de alarme com sirene para casos de enchente na rua Ernesto Sena, onde mora. Com o alarme do transbordamento do Pirajussara, os moradores tinham a chance de evacuar o local e até salvar alguns móveis. No entanto, Djalma afirma não usar o aparato desde 2009. Serra brincou com o slogan da gestão Kassab para comemorar o avanço. "Antes não tinha, agora tem! (enchente)", sorriu.