'O projeto das milícias é retomar o poder perdido', afirma Freixo

O candidato à prefeitura do Rio, deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), participou neste sábado de dois eventos na capital do Estado fluminense. O primeiro nesta manhã, foi uma caminhada pelo calçadão de Campo Grande, na zona oeste carioca. Acompanhado do deputado federal Chico Alencar (Psol), Freixo indicou que o crime organizado, mesmo com a CPI das Milícias que desmantelou parte de seu poder, ainda tenta manter a força na região.

"O projeto deles (milícias) é retomar o poder perdido. Fizemos ofícios à Justiça Eleitoral e à Secretaria de Segurança Pública informando sobre a atividade e cobrando a garantia do direito de ir e vir para todos os candidatos no período eleitoral", afirmou Freixo.

Mais tarde, Freixo participou de um sarau na Favela da Rocinha, zona sul do Rio. O evento, organizado pela Cooperativa dos Artistas da Periferia (Cooperifa) com a Associação de Profissionais e Amigos do Funk (APAFunk) e teve a presença do poeta Sergio Vaz, presidente da Cooperifa, e Mc Leonardo, presidente da APAFunk.

Durante as festividades, Freixo aproveitou para criticar as atuais políticas de cultura na cidade, que não fomentam os artistas regionais. "Até pouco tempo a gente lutava debater o funk em um espaço que não fosse de polícia, fosse reconhecido como manifestação cultural", disse o candidato do Psol à prefeitura do Rio. "Não queremos a cultura de aplauso, ser chamados para um show como de fora, mas reconhecimento da cultura que se produz em cada território", completou.

Além dos artistas, o sarau ainda contou com o candidato à prefeitura de São Paulo, deputado estadual Carlos Giannazi (Psol), que tem Vaz como seu cabo eleitoral.