Ministro que tentou unir PT, PSB e PSDB em BH diz estar arrependido  

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT), demonstrou arrependimento por ter tentado articular a aliança PT-PSB-PSDB em Belo Horizonte. Segundo ele, os responsáveis pelo fim da união poderão "colher o fruto do que praticaram". Três candidatos renunciaram, e a presidente Dilma Rousseff promoveu o ex-ministro Patrus Ananias após o atual prefeito, Márcio Lacerda (PSB), negar ao PT coligação na chapa de vereadores. Com isso, a presidente procuraria evitar que o presidente do PSB, Eduardo Campos, ganhasse força. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Antecessor de Lacerda na prefeitura, Pimentel acusou o prefeito de romper primeiro a aliança. "Na medida em que o prefeito não cumpriu o documento, não cumprindo também a sua palavra, a ruptura era inevitável", afirmou. O senador Aécio Neves, articulador da aliança pelo PSDB, pressionou o prefeito a não ceder à vontade do PT. O tucano disse que o partido só "ponderou e solicitou". "Se eu soubesse o que ia acontecer, não teria feito a aliança que fizemos em 2008. Mas isso faz parte da política, as pessoas vão, no futuro, colher o fruto do que praticaram hoje", completou Pimentel.