Datafolha: Serra lidera pesquisa, mas vê Haddad dobrar intenções 

O instituto de pesquisa Datafolha divulgou na terça-feira o resultado da última pesquisa de intenção de votos para a prefeitura de São Paulo. Com menos de quatro meses para a disputa, o ex-governador do Estado e candidato à prefeitura José Serra (PSDB) continua líder das pesquisas de intenção de votos pela disputa da prefeitura paulistana, mas vê o petista Fernando Haddad mais do que dobrar seu índice. O levantamento também mostra, entre outros resultados, que a eleição é de grande interesse para 37% dos eleitores até o momento.

Na simulação em que são apresentados os nomes de 10 pré-candidatos ao eleitor paulistano, José Serra lidera com 30% das intenções de voto, mesmo índice obtido na pesquisa anterior, realizada em março deste ano. A segunda colocação também é mantida por Celso Russomano (PRB), que tem 21%. A seguir aparecem, empatados, Fernando Haddad, que tinha 3% em março e agora aparece com 8%; Soninha (PPS), que também tem 8%; Netinho de Paula (PCdoB), com 7%; Gabriel Chalita (PMDB), com 6%, e Paulinho da Força (PDT), com 5%.

Os pré-candidatos Luiz Flávio Borges D¿Urso (PTB) e Carlos Gianazzi aparecem com 1%, e Levy Fidelix (PRTB) não obteve o mínimo de citações para atingir 1%. Os que dizem votar em branco, anular ou não optam por nenhum desses nomes somam 9% (ante 11% em março), enquanto 3% dizem não saber em quem votar.

Serra é mais rejeitado do que Haddad

No quesito rejeição, José Serra tem um número alto: 32% dizem que não votariam nele de jeito nenhum, oscilação positiva sobre os 30% que diziam o mesmo há três meses. Em seguida aparecem, como mais rejeitados, Levy Fidelix (20%), Paulinho (19%), Soninha (19%), Haddad (12%), Luiz Flávio Borges D¿Urso (12%), Celso Russomano (11%), Carlos Gianazzi (10%) e Gabriel Chalita (10%).

Haddad viu suas intenções de voto crescer principalmente entre os homens (de 5% para 12%), entre aqueles de 45 a 59 anos (de 5% para 13%), no grupo dos que possuem curso superior (de 3% para 12%), na fatia dos que possuem renda familiar até cinco salários mínimos por mês (de 3% para 10%), na faixa dos que possuem renda mensal superior a 10 mínimos (de 3% para 12%) e entre os que declaram ter o PT como partido preferido (de 7% para 23%).

Líder, Serra ganhou nove pontos na fatia dos eleitores com 60 anos ou mais (de 37% para 46%), mas perdeu nove pontos entre os que têm de 35 a 44 anos (de 30% para 21%). Entre os eleitores com ensino fundamental, Serra oscilou de 26% para 31%. O tucano caiu, porém, entre aqueles que têm renda mensal familiar entre cinco e 10 salários mínimos (de 39% para 31%). No grupo dos que dizem ter o PSDB como partido preferido, Serra passou de 59% para 66%.

A maioria dos eleitores paulistanos deseja que as ações do próximo prefeito de São Paulo sejam diferentes das tomadas pelo atual, Gilberto Kassab (PSD). É o que mostra o levantamento do Datafolha, que pela primeira vez na atual rodada de pesquisas para a corrida eleitoral em São Paulo perguntou aos eleitores se eles preferem que as ações do sucessor de Kassab, de forma geral, sejam iguais ou diferentes às tomadas pelo atual prefeito. Oito em cada dez (80%) dizem preferir que as ações do próximo prefeito sejam diferentes, enquanto 13% dizem preferir que sejam iguais. Uma fatia de 6% disse não saber optar por uma das duas alternativas ou não respondeu.

Para a pesquisa foram consultados 1.077 eleitores da cidade de São Paulo, entre os dias 13, 14 e 15 de junho. Ela foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo com o número 87/2012.