Na TV, Dilma teme retrocesso tucano; Serra compara biografias

Na tarde desta quinta-feira (28), o programa da candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, voltou a focar nas realizações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o "fortalecimento da economia" e aumento da qualidade de vida e disse que se preocupa que seu adversário, o tucano José Serra, acabe com esse avanço.

"Chegamos aonde chegamos e não podemos voltar à estaca zero. Voltar a um passado onde as pessoas não podiam ter crédito, comprar um carro, adquirir casa própria, viajar de avião. Enfim, não podiam ter conforto e qualidade de vida. Esse é o grande perigo que se esconde atrás do modelo de governo do meu adversário", declarou Dilma.

Além de exaltar a "economia sólida", o programa petista apontou as realizações do governo Lula na saúde, educação, moradia e acusou a propaganda de Serra de "tentar confundir o eleitorado" sobre qual é a real posição do governo na questão do pré-sal. "A verdade é que Lula e Dilma nunca vão privatizar as riquezas nacionais. (...) O pré-sal vai ser uma grande fonte de riqueza para o brasileiro e não para grupo de estrangeiros", garantiu a locutora.

O candidato à presidência da República pelo PSDB, José Serra, também voltou a exibir o programa eleitoral da noite da última quarta-feira, comparando sua trajetória política a da adversária petista Dilma Rousseff.

Durante o programa, os locutores acusam Dilma de esconder suas "companhias": Renan Calheiros e José Dirceu. Além disso, o programa comentou o apoio de ex-presidentes à campanha de cada um dos presidenciáveis. "Serra tem apoio de dois ex-presidentes, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso. Dilma tem Collor e Sarney".

Além da tradicional comparação entre biografias, o candidato à vice-presidência na chapa de José Serra, Índio da Costa também apareceu no programa para pedir votos ao tucano. "Estarei ao lado do Serra na construção de um Brasil com mais oportunidade de trabalhos", declarou.

Por fim, Serra encerrou dizendo que "o presidente que esta saindo, todos nos conhecemos". "No começo do ano ele não estará mais em Brasília. O candidato que você irá votar vai cuidar da sua saúde e da saúde da sua família nos próximos quatro anos", ressaltou. "Eu digo pra você, olho no olho, com o Brasil pulsando forte no meu peito, tenho certeza que você vai escolher o melhor para o Brasil, e vou ficar muito honrado se o seu voto for pra mim", finalizou o candidato.