Mulher desmaia por forte calor durante homenagens a Kirchner

 

A multidão que se aglomerou na Plaza de Mayo, em frente à Casa Rosada, para prestar as últimas homenagens ao ex-presidente Néstor Kirchner, causou alguns transtornos à capital argentina. Além de atrapalhar o trânsito nos arredores da Casa do Governo, onde ocorre o velório de Kirchner, a aglomeração fez com que uma mulher passasse mal devido ao forte calor em Buenos Aires.

A mulher foi atendida por paramédicos e retirada em uma maca em meio aos milhares de argentinos reunidos na praça. Ela foi encaminhada a um hospital.

Kirchner morreu na manhã desta quarta-feira em El Calafate, na província de Santa Cruz, ao sul da Patagônia. Segundo os jornais do país, estava em sua residência quando sentiu-se mal e foi levado às pressas ao hospital da cidade, onde morreu por uma parada cardiorespiratório seguida de morte súbita.

Ainda durante a madrugada, os restos mortais do ex-presidente foram transferidos em um avião da Força Aérea Argentina até Buenos Aires. Desde o final da manhã de ontem, o clamor popular pelo líder morto cresce na capital e, em especial, no entorno da Plaza de Mayo, onde fica o principal palco para as manifestações sociais nacionais. O enterro ocorre nesta sexta-feira.

Trajetória

Nascido em 25 de fevereiro de 1950 em Rio Gallegos, na província de Santa Cruz, Patagônia, Néstor Carlos Kirchner teve uma vida dedicada à política. Participou desde cedo de movimentos, fazendo oposição ao governo militar como parte da Juventude Peronista. Chegou à Presidência da Argentina em 2003, fazendo sua mulher como sucessora em 2007.

Considerado um homem público com um caráter implacável frente a seus adversários, Kirhcner foi um dos políticos mais influentes do país e um potencial candidato para as eleições de outubro do ano que vem