Na Bahia, Aécio defende governo federal com menos escândalos

Salvador - O senador eleito Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu, no final da manhã desta terça-feira (26), em Salvador, durante evento em favor à candidatura do tucano José Serra, a formação de um governo federal menos vulnerável a escândalos. Afirmando haver um movimento silecioso a favor do presidenciável tucano, Aécio afirmou que a sociedade "quer mais democracia, mais ética, mais seriedade e menos escândalos no governo federal".

Repetindo o discurso de José Serra, que prega um "governo de união", o senador mineiro aproveitou para atacar o que a oposição entende ser aparelhamento do Estado em favor dos petistas e aliados. "Queremos um governo que não queira dividir o país entre pobres e ricos, entre negros e brancos, entre os que são filiados e os que não não filiados ao partido", destacou.

Em seguida, em seu discurso realizado no Centro de Convenções do Hotel Fiesta, defendeu que o governo federal não seja formado apenas por "companheiros". Aécio Neves destacou ainda que "esta eleição está longe de ser decidida". Segundo ele, a maioria dos 20% que votaram em Marina Silva (PV) preferem a reflexão, o que favoreceria Serra.

Simpatia

O tucano mineiro acredita que Serra conquista votos mesmo entre os eleitores simpáticos ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Aécio destacou ainda que os avanços verificados hoje no país são resultado de 25 anos de desenvolvimento. O senador eleito ressaltou que o país não foi descoberto a partir de 2003, destacando as contribuições dos ex-presidentes Fernando Henrique e Itamar Franco para a estabilização da economia.

Batendo na tecla da democracia e da liberdade de imprensa, Aécio Neves também apontou que estas eleições terão peso importante sobre estes temas. Ele apontou "preocupantes iniciativas regionais" de representantes do PT que causam preocupação, uma vez que iniciativa nacional também foi aventada no texto do III Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3).

Bahia

O senador eleito Aécio Neves disse acreditar ainda que Bahia e Minas Gerais podem dar uma resposta inesperada aos petistas. Ainda na tarde desta terça-feira, o tucano participa de carreata em Feira de Santana ao lado de líderes do Democratas baiano. O presidente do DEM baiano e candidato derrotado ao governo, Paulo Souto, disse acreditar que "o Brasil fará justiça e elegerá Serra".

O evento pró-Serra em Salvador teve também presença fortalecida do militantes do PPS - no primeiro turno, o partido, na Bahia, teve dificuldades em apoiar Serra por conta do apoio à candidatura de Geddel Vieira Lima (PMDB) ao governo, que tinha Dilma Roussef (PT) como presidenciável. "Estamos com Serra desde o início. E defendemos a importância da alternância de poder para o processo democrático", defendeu Joceval Rodrigues (PPS), vereador por Salvador.