Marina critica "preguiça política" e se nega a orientar votos

A candidata derrotada do PV à presidência da República, Marina Silva, afirmou durante entrevista à TV Estadão, que prefere se manter independente no segundo turno das eleições a orientar os votos dos eleitores porque essa alternativa é "tentadora". "É muito tentador (orientar os votos). Até porque te valoriza. Difícil é você ficar nessa posição resvalada e deixar as pessoas escolherem seus caminhos".

A senadora pelo Acre afirmou que a possibilidade de orientar os votos vem da "preguiça política" vivida pelo País. Marina voltou a afirmar que há um "cansaço do confronto e busca de um encontro" por parte de eleitores. "A não eleição de Dilma no primeiro turno mesmo com o presidente Lula muito bem avaliado sinaliza um cansaço da situação pela situação", disse.

Do outro lado, ainda segundo Marina, as derrotas dos senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Arthur Virgílio (PSDB-AM) também mostram que o eleitor não quer a oposição por oposição".