Thomaz Bastos: atitude do PSDB reflete "certeza de que vai perder"

SÃO PAULO - O ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos afirmou na noite desta terça-feira que as atitudes da campanha do PSDB durante o segundo turno refletem "a certeza de que vão perder, isso é fruto do medo, medo de perder, medo de encarar a candidata do governo que tem a maior aprovação popular da história do país".

Thomaz Bastos participou de um ato de leitura de um manifesto elaborado por educadores, juristas e intelectuais a favor da candidata petista. Dentre os signatários do documento estão Celso Bandeira de Mello, Dalmo Dallari e Fábio Konder Comparato. Apesar da intenção do evento, ao invés de educadores, juristas e intelectuais, a mesa foi formada majoritariamente por políticos da coligação petista. O ato ocorreu no TUCA, teatro da PUC de São Paulo.

Estavam sentados ao lado do ex-ministro, Michel Temes (PMDB), Eduardo Suplicy (PT), Marta Suplicy, Aloizio Mercadante (PT), José Genuíno (PT), Luiza Erundina (PSB), Protógenes Queiroz (PCdoB), José Eduardo Cardoso (PT), e Frei Betto.

Dilma não pôde participar porque estava em um comício de campanha realizado em Goiás, mas gravou uma mensagem em vídeo que foi transmitida para os presentes.  Cada um dos políticos citados teve a sua oportunidade de ir ao microfone e repetir o script petista de atacar José Serra, o governo FHC e as privatizações.

Márcio Thomaz Bastos afirmou que para que Dilma vença a eleição, basta "apenas traduzir nas urnas o sentimento do povo brasileiro".