Na TV, PSDB acusa Dilma de má gestão em Porto Alegre

 

Na tarde desta quarta-feira (20), a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, relembrou a situação da prefeitura de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em julho de 1988. Durante o programa tucano, o locutor ressaltou: "a secretária de Finanças, Dilma Rousseff, admitiu: falta dinheiro até para pagar o funcionalismo".

Em seguida, completou: "no auge da crise, ela deixa o cargo. Os servidores entram em greve e Porto Alegre mergulha no caos", referindo-se à atual candidata do PT à presidência. "Não tinha um único centavo no caixa para pagar sequer o salário do mês", declarou Políbio Braga, sucessor da ministra em Porto Alegre. Braga enfatizou ainda o despreparo de Dilma para assumir cargos públicos: "Dilma é absolutamente despreparada para a função".

"Dilma fez tanta trapalhada que foi criticada até pela turma do PT. Neste governo, a gestão dela é definida como um caos. Com baixa arrecadação e dívidas vencidas (...). Ela não vai dar conta", finalizou.

Nos demais trechos, o PSDB voltou a exibir os principais momentos do último programa eleitoral em que Serra afirmou que "não tem nada pior que governo que entra e interrompe tudo o que foi feito de bom", ressaltando que dará continuidade aos projetos e obras que já estão dando certo no País.

O programa do tucano contou com a presença do ator Juca de Oliveira, do pastor Valdemiro Santiago e do político verde Fernando Gabeira, que decidiu apoiar Serra, apesar da neutralidade apontada por seu partido no segundo turno.

Já a candidata petista, exibiu novamente o programa da noite da última terça-feira (19), em que comparou a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva com o governo de Fernando Henrique Cardoso e voltou a falar dos recursos gerados a partir do petróleo que serão distribuídos em prol da sociedade. "Os recursos do pré-sal serão distribuídos entre as áreas de meio-ambiente, ciência e tecnologia, cultura educação, saúde e combate à pobreza", garantiu.

Durante o programa, o presidente Lula e o candidato à vice-presidência pela chapa de Dilma, Michel Temer, pediram votos à petista. Além deles, a presidenciável recebeu depoimentos de personagens importantes da cultura do País que apoiaram sua candidatura, como Chico Buarque e Gilberto Gil. "Ela tem fibra, é inteligentíssima e tem sensibilidade social para tocar adiante", disse Chico.

O horário político petista encerrou anunciando: "aqui termina a propaganda da presidente que não vai privatizar a Petrobras".