Em busca dos votos de Marina, Dilma divulga compromissos ambientais

     BRASÍLIA - O PV de Marina Silva optou pela neutralidade no segundo turno das eleições, mas os dois candidatos que continuam na disputa à presidência da República, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), seguem em busca dos quase 20 milhões de votos obtidos pela senadora do Acre. Nesta quarta-feira, Dilma participa de um 'ato em Defesa do Meio Ambiente', em um hotel em Brasília. No local circula um panfleto com os '13 compromissos de Dilma em política ambiental'.

As propostas são genéricas. Falam em "aprofundar crescimento econômico com distribuição de renda e sustentabilidade ambiental", "combinar o crescimento econômico com baixo índice de emissão per capita de CO2", "avançar na integração da sustentabilidade ambiental às políticas públicas" ou ainda, "fortalecer a dimensão da sustentabilidade ambiental nas grandes obras do PAC, da Copa do Mundo e das Olimpíadas" e "consolidar a atuação brasileira na política ambiental global".

Antes da convenção do PV no último domingo (17), que terminou sem apoio a nenhum dos dois presidenciáveis ainda na disputa, a petista havia divulgado uma carta enviada a Marina Silva comentando as linhas programáticas defendidas pelo PV consideradas pré-requisitos para o apoio da legenda no segundo turno das eleições presidenciais.

A carta continha compromissos mais concretos, por exemplo, em relação ao Código Florestal. "Expresso meu acordo com o veto a propostas que reduzam áreas de reserva legal e preservação permanente, embora seja necessário inovar em relação à legislação em vigor. Somos totalmente favoráveis ao veto à anistia para desmatadores."

No evento desta quarta, também deverá ser anunciado o apoio da filha mais velha do ativista Chico Mendes, Ângela, à candidatura da petista. A iniciativa ocorre depois que a viúva do líder sindical, Ilzamar, anunciou seu apoio ao tucano José Serra.