Dilma reclama de campanha do "ódio religioso" de adversários

Em evento em Brasília, a candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff lançou 13 compromissos para o meio ambiente e fez um discurso baseado principalmente no assunto. Na ocasião, a petista também encontrou espaço para fazer críticas aos adversários a respeito da polêmica sobre o aborto que foi a tona da disputa eleitoral ao final do primeiro turno.

"Agora que não podem dizer que não governamos bem, que não reduzimos a desigualdade, que não tiramos quase uma Argentina da miséria, com mentiras e calúnias, tentam criar o ódio religioso", afirmou.

Dilma destacou então que "evangélicos, judeus, católicos, espíritas, desfrutam um convívio fraterno" no Brasil. "Somos um País que conquistou a democracia, nosso governo sempre respeitou a manifestação religiosa", completou.

Marineiros

Além dos apoiadores petistas, o evento contou com a participação de 'marineiros', eleitores de Marina Silva que decidiram apoiar a candidata petista mesmo depois de o PV optar pela neutralidade no segundo turno.

Para esse público, Dilma destacou a figura de "grande militante, tanto das lutas sociais como da luta ambiental" da senadora do Acre. "Por isso, esse apoio me honra muito", acrescentou.

O apoio, segundo Dilma, deixou sua candidatura de "alma lavada". "Estamos de alma lavada e enxaguada. Já que temos dificuldade de lavar no rio Tietê, pelo menos aqui nós lavamos e enxaguamos", disse, dirigindo-se ao vice Michel Temer, que é de São Paulo, e fazendo referência ao poluído rio paulista.