Aécio e Indio pedem votos em Alagoas

     MACEIÓ - Excluídos do programa eleitoral do governador candidato à reeleição de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) e o vice de José Serra (PSDB), Indio da Costa (DEM), são as estrelas dos tucanos em Alagoas nesta semana. A ideia é que eles ajudem a virar o jogo na disputa à chefia do Executivo Estadual, que tem Ronaldo Lessa na liderança das pesquisas.

Aécio, Serra e Indio não aparecem na TV pedindo votos para Teotonio Vilela. Em seu lugar, o PSDB alagoano preferiu mostrar Lula, no primeiro e segundo turnos, entregando um diploma ao governador. "O presidente tem uma relação republicana com o governador. São de partidos diferentes e isso não prejudica em nada. Nenhuma obra do PAC está parada porque o governo tem cumprido todas as exigências da União", disse o presidente estadual do PSDB, Claudionor Araújo.

Indio da Costa vai a Alagoas nesta terça-feira, participa de entrevista coletiva às 14h30 na sede do DEM em Maceió e visita a cidade de Murici, no interior de Alagoas, município com a maior diversidade biológica na porção de Mata Atlântica do Nordeste. A cidade é também o celeiro eleitoral do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, e da família Calheiros. Renan é aliado de Lessa e eleitor de Dilma Rousseff (PT) .

O professor de história da Universidade Federal de Alagoas, Alberto Saldanha, diz que Serra - bem como outros tucanos - não aparecem na televisão por causa de Lessa. "O Ronaldo queria uma campanha onde Serra aparecesse, para contrapor Dilma Rousseff (PT). Mas, não conseguiu. O Teotônio não faz questão de vincular sua imagem a Serra", disse.

"O Indio em Alagoas, vice do Serra, representa alguém desconhecido do eleitorado local. E o Aécio brigou na época com o Serra, na disputa pela presidência da República, dentro do PSDB. Ele pede votos para Teotônio em Alagoas, mas não para Serra. É outro peso político".

Na próxima semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarca em Alagoas, segundo o candidato a vice governador Joaquim Brito (PT), para reforçar a campanha do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT).