ACM Neto acusa PT baiano de terrorismo eleitoral

O deputado federal Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM/BA) acusou os petistas baianos de terrorismo eleitoral ao pedir votos para a presidenciável Dilma Roussef (PT), alegando que a vitória de José Serra (PSDB) prejudicaria a vinda de investimentos, obras e o fim de projetos como o Bolsa Família.
"Estão apelando para esta tática com o objetivo de enganar a população e tentar manipular as eleições na Bahia", disse o democrata, através de nota divulgada nesta terça-feira (19). "Estão dizendo que a Bahia só terá investimentos se a candidata do PT vencer a eleição, o que é uma mentira. Isso é terrorismo eleitoral", acusou.
O governador Jaques Wagner (PT) afirma que apenas o programa Bolsa Família é responsável por injetar anualmente, "na veia da economia baiana", um montante anual de R$ 2 bilhões, ao atender um total de 1,6 milhão de famílias.
"Por isso, Dilma é o melhor para a Bahia. Se a oposição ganhasse a eleição poderia suspender o programa (Bolsa Família), o que seria um prejuízo social impensável", diz o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), que é um dos coordenadores da campanha de Dilma no estado.
Contra-propaganda - O presidente estadual do PSDB, Antônio Imbassahy - que foi eleito deputado federal no pleito do dia 03 de outubro - disse que o partido começa a difundir pelo interior, através de propaganda em panfleto e carros de som, que Serra não terminará com o Bolsa Família.
"Serra vai incorporar as famílias que hoje estão cadastradas, mas não recebem os benefícios", afirmou Imbassahy, que aguardava para esta terça-feira a chegada do material de propaganda. Ele disse que o esforço se dará em todo o estado para anunciar, além dessa proposta, as do salário mínimo de R$ 600 e o aumento de 10% para aposentados e pensionistas.