Para PV mineiro, independência do partido foi o melhor caminho

O diretório estadual do PV em Minas Gerais referendou, nesta segunda-feira (18), a decisão da executiva nacional da sigla pela neutralidade e independência no segundo turno da disputa presidencial. Para o deputado federal e candidato derrotado ao governo mineiro, José Fernando (PV), a independência foi o caminho mais coerente a ser tomado.

No entendimento do parlamentar, pelo fato de nenhuma das duas campanhas ter se comprometido com a pauta apresentada por Marina Silva, não havia outra saída. Ele destaca, no entanto, que em Minas a posição dos seis deputados estaduais já era praticamente certa: o apoio ao tucano José Serra. Antes mesmo da decisão da executiva nacional de, no domingo (17), liberar filiados para tomarem a atitude que quisessem, muitos já sinalizavam que ficariam com o ex-governador paulista.

"Estes seis deputados, que sempre acompanharam o Aécio (Neves, ex-governador de Minas) mantiveram posição de alinhamento", pondera. José Fernando afirma que ainda não decidiu se anunciará apoio a uma das duas candidaturas. Ele diz que esteve com o ministro da Articulação Institucional, Alexandre Padilha, que trabalha pela campanha de Dilma e lhe entregou uma proposta que pode definir seu apoio. Entre os itens relacionados, estão investimentos no minério de ferro e uma pauta ambiental.

Segundo a resolução tomada pela executiva nacional verde, os membros do partido, com ou sem mandato, ficam livres para tirar um posicionamento e até participar de atos de campanha, desde que não usem os símbolos partidários ou falem em nome da sigla. Além disso, os dirigentes do PV estão impedidos de manifestar sua decisão.

A intimidade do PV mineiro com o grupo de Aécio Neves levou os seus deputados estaduais a se aproximarem de Serra desde o fechamento das urnas, no dia 3 de outubro. Na semana passada, durante encontro do presidenciável tucano com lideranças municipais, em Belo Horizonte, vários membros do PV eram vistos no evento.