RS: PTB já começa a reivindicar cargos no futuro governo de Tarso Genro

      PORTO ALEGRE - O governador eleito do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), mal começou as articulações com partidos não aliados para a composição da base de sustentação do novo governo, e já aconteceu a primeira saia justa das negociações. Acompanhado pelo presidente estadual do PTB no Rio Grande do Sul, Luis Augusto Lara, o deputado federal reeleito Sérgio Moraes, que é vice-presidente do partido, foi ao comitê de campanha de Tarso na quarta-feira para dar início às negociações. Disse que o PTB deve ocupar secretarias estratégicas.

Quando lhe pediram para exemplificar pastas estratégicas, listou Transportes, Obras, Educação, Saúde e Habitação. O deputado, que ficou conhecido nacionalmente pela declaração de que "se lixava" para a opinião pública, particularmente defende que ou o partido recebe uma fatia proporcional a seu tamanho ou adota postura de independência na Assembleia Legislativa.

O PTB gaúcho tem 118 mil filiados, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 3 de outubro elegeu três deputados federais (sendo o mais votado o ex-goleiro Danrlei) e seis estaduais (entre eles, o filho de Moraes, Marcelo, o mais votado do partido na Assembleia). Também comanda 31 cidades, entre elas Santa Cruz do Sul, administrada pela mulher de Moraes, a prefeita Kelly Moraes.

Nesta quinta-feira (7), durante entrevista coletiva na sede da Associação Gaúcha das Emissoras de Rádio e TV (Agert), Tarso foi diplomático, mas mandou seu recado. Questionado se considerava ofensivas as exigências do deputado, respondeu que elas não integram uma postura política tradicional. Mas ressalvou que o governo será pautado por novos critérios. "O que o deputado colocou, todos os partidos reivindicam. Não teremos nem secretarias fortes e nem fracas. Teremos projetos fortes."

Diante da insistência dos jornalistas sobre como pretende negociar com o PTB, Tarso destacou que Moraes, em sua visita, estava acompanhado por Lara, que é "quem fala pelo partido." Lara está convocando para 18 de outubro um encontro com o diretório petebista para definir a questão.