Adversários cobram posicionamento de Dilma sobre aborto

Em encontro do PSDB com aliados, nesta quarta-feira (6), em Brasília, a polêmica referente ao tratamento dado à questão do aborto pela campanha da petista Dilma Rousseff veio à tona. E gerou cobranças por parte dos advesários da candidata.

O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, ressaltou a posição do partido e do candidato José Serra contra o aborto e cobrou explicações da petista. "Quem tem que explicar isso não é o PSDB, é uma ministra que disse quatro coisas a respeito do assunto e que, normalmente, não fala a verdade".

O presidente do DEM, Rodrigo Maia, também cobrou um posicionamento da candidata adversária, afirmando que Dilma tem "uma dificuldade enorme" para tratar de valores de família e valores cristãos.

"Ela tenta desmentir coisas que ela declarou de forma clara na imprensa, (e isso) só faz piorar a situação dela. Se o eleitor decidiu pela questão do valor cristão, então eu acho que a gente tem que discutir e deixar claro o que cada um pensa e pretende implementar se, de fato, chegar à Presidência da República".

"Nosso partido tem posição clara, o Serra também tem, e a Dilma não tem. Queremos saber de forma clara qual será a posição dela. No momento, é uma posição oportunista, que certamente vai transparecer e tem transparecido para o eleitor", acrescentou Maia.

Ontem, governadores aliados de Dilma, eleitos e reeleitos reuniram-se em Brasília e foram unânimes em afirmar que a polêmica sobre a descriminalização do aborto e uma eventual mudança legal nas situações de interrupção de gestações foram os principais fatores que impediram a candidata petista de vencer as eleições gerais de 2010 já no primeiro turno.