SC: Luiz Henrique conquista 12º mandato consecutivo

     FLORIANÓPOLIS - Luiz Henrique da Silveira (PMDB), senador eleito por Santa Catarina, conquistou o 12º mandato consecutivo em 40 anos de atividade política. Aos 70 anos de idade, Silveira obteve 1,8 milhão de votos na disputa por uma vaga ao Senado Federal. O peemedebista foi eleito pela primeira vez em 1970 para o cargo de deputado estadual. Desde então, foram três mandatos como prefeito de Joinville, cinco como deputado federal e outros dois como governador de Santa Catarina.

As vitórias colocam Silveira como a mais expressiva liderança política catarinense. O peemedebista contabilizou apenas uma derrota em 40 anos: a disputa pela prefeitura de Joinville, em 1992.

Em 2002, o senador eleito protagonizou uma das eleições mais equilibradas da história política catarinense. Com poucos recursos, embarcou na campanha ao governo do Estado. "Chegávamos a dormir no carro para economizar o gasto com hotel", conta. Em disputa acirrada, chegou ao segundo turno após vencer por uma diferença de apenas 19 mil votos o petista José Fritsch. Na etapa seguinte, foi eleito governador ao superar o então favorito Esperidião Amin, do PP, por menos de 1% de vantagem.

"Cada eleição é como um filho que a gente tem", disse nesta segunda-feira ao participar das comemorações com cabos eleitorais na avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis. "A gente ama os filhos igualmente. É assim que faço com minhas vitórias".

Questionado dentro das próprias bases ao decidir apoiar o democrata Raimundo Colombo e o presidenciável José Serra, do PSDB, Silveira desabafou na madrugada desta segunda em comício realizado na capital catarinense. Segundo ele, o PT o tratou como inimigo e a resposta teria sido dada "nas urnas".

"O povo compreendeu que fiz um bom trabalho no governo e fui traído pelo PT (...) como prêmio ganhei essa votação e Raimundo Colombo obteve uma vitória avassaladora. Trabalhei pelo conjunto e o resultado está aí. Temos três senadores, o governador e os deputados mais votados".

O peemedebista atacou os próprios companheiros de partido e petistas que defendem a campanha de Dilma Rousseff à presidência. Ele disse ser uma "questão pessoal" vencer a petista em Santa Catarina. "Vamos ajudar José Serra a se tornar o próximo presidente do Brasil, lutando contra aqueles que não defendem o nosso Estado".