SC: Ideli acusa Ibope pela derrota e diz que PT foi "garfado"

Florianópolis - A candidata do PT ao governo de Santa Catarina, Ideli Salvatti, disse ter sido "garfada" nas eleições pelos institutos de pesquisa que divulgaram levantamentos sobre a corrida à sucessão estadual.

A petista não escondeu a irritação ao passar pela sede do Tribunal Superior Eleitoral de Santa Catarina na noite deste domingo. Em disputa acirrada com a progressista Angela Amin pela segunda colocação, Salvatti afirmou que o PT teria sido prejudicado pela terceira eleição consecutiva pelo Ibope.

As pesquisas do instituto a colocaram com 16% das intenções de voto. Entretanto, o resultado final apontou um desempenho de 22% do eleitorado.

"Mais uma vez o PT foi garfado, assim como ocorreu em 2002 e 2006", disse. "O que o Ibope fez com minha candidatura foi um crime. Ninguém consegue crescer tantos pontos de um dia para o outro. Nem tomando fermento".

As pesquisas divulgadas com antecedência e colocando sua candidatura em "estagnação" teriam sido fatais na campanha do PT, segundo avaliação da petista.

"Qualquer um pode ver como fui garfada pelo Ibope e alguns institutos de pesquisa. Isso é uma vergonha", afirmou. "Todo mundo sabe como existem eleitores que votam em quem está na frente. Está aí o meu prejuízo, não mostraram meu crescimento e me prejudicaram mais uma vez".

Em 2002, Salvatti era apontada como a quinta colocada nas pesquisas para o Senado, mas acabou obtendo 1 milhão de votos e foi mais votada. Há quatro anos, o petista José Fristch registrava 15% nas pesquisas, mas conquistou quase 20% dos votos no primeiro turno. "Reiteradas vezes somos roubados e prejudicados por estas pesquisas. Eles, os institutos não têm mais nem vergonha na cara de fazer essas atrocidades em Santa Catarina", apontou. "E mais uma vez erraram feio".