Com abstenção de quase 25%, Maranhão define eleições em primeiro turno

O segundo colocado, Flávio Dino (PCdoB), teve menos votos do que o total de abstenções

     SÃO LUÍS - As eleições no Maranhão podem ter sido decididas no primeiro turno por causa do grande número de eleitores que não conseguiram votar ou optaram por não ir às urnas neste domingo. Com 4.320.748 eleitores, um contingente de 1.035.648, ou 23,97% do total, absteve-se de votar, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A governadora Roseana Sarney (PMBD) foi eleita no primeiro turno com 1.459.792 votos, o que corresponde a 50,08%. A diferença dela para os demais candidatos foi de apenas 4.877 votos. O segundo colocado na disputa ao Palácio dos Leões, Flávio Dino (PCdoB), teve menos votos do que o total de abstenções. Ele obteve 29,49%, ou 859.402 votos. O ex-governador Jackson Lago (PDT) ficou em terceiro, com 19,53% dos votos (569.412).

Antes da eleição já havia a preocupação com uma grande abstenção do eleitorado maranhense. Tanto é que às vésperas da eleição, no sábado, o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) autorizou o transporte de eleitores para cidades do interior do estado por partidos políticos e coligações desde que os veículos fossem cadastrados.

Apesar do grande número de abstenção, o corregedor regional Eleitoral, José Joaquim dos Anjos, disse ontem, logo após o encerramento da votação, que o percentual é semelhante à média de outras eleições para presidente da República, governador, deputados estaduais e federais e senadores.