Sérgio Cabral é reeleito governador do Rio de Janeiro

Sérgio Cabral (PMDB) foi reeleito governador do Rio de Janeiro. Com 59,19% das urnas apuradas, ele aparece com 65,55% dos votos. Na liderança das pesquisas desde o início da campanha, ele destacou em sua campanha a participação do Rio na Copa do Mundo de 2014 e por abrigar pela primeira vez uma Olimpíada, em 2016.

Também focou no apoio do governo com os prefeitos de diversas regiões do Estado e prometeu expansão do ensino técnico, além da proposta de ampliar a pacificação em todas as comunidades do Rio de Janeiro.

Durante a campanha, Cabral foi alvo de acusações dos seus adversários Fernando Gabeira (PV) e Fernando Peregrino (PR). Segundo os candidatos, o governador reeleito é aliado de políticos acusados de integrar quadrilhas. Além disso, Cabral foi constantemente questionado sobre problemas de infraestrutura e transportes e também em relação a casos de superfaturamento na Secretaria de Estado de Saúde.

Sérgio Cabral Filho nasceu no dia 27 de janeiro de 1963, no Engenho Novo, na zona norte do Rio. Iniciou sua participação política em 1979, no Partido Comunista Brasileiro (PCB). Três anos mais tarde, filiou-se à juventude do PMDB e, aos 24 anos, assumiu a diretoria de operações da Companhia de Turismo do Rio de Janeiro (Turisrio). Em sua primeira eleição, para deputado estadual, Cabral entrou para a Câmara com 12 mil votos e foi reeleito em 1994, com 168 mil votos. Um ano depois, assumiu a presidência da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), função que ocuparia por oito anos.

Em 1996, Cabral chegou ao segundo turno da eleição para a prefeitura do Rio, mas perdeu para Luiz Paulo Conde (PFL). Dois anos depois, voltou à Alerj com 380 mil votos. No pleito seguinte, Sérgio Cabral foi eleito ao Senado com a maior votação de um político na história do Rio de Janeiro, 4,2 milhões de votos. Pai de cinco filhos, Cabral tornou-se governador do Estado em 2006, com 68% dos votos válidos.