PB: Ricardo Coutinho e José Maranhão disputarão governo no 2º turno

Com 99,63% das urnas apuradas, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, Genésio Gomes, confirmou neste domingo (3) o segundo turno entre os candidatos ao governo de Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) e José Maranhão (PMDB).

Ricardo Coutinho somou 49,8% dos votos, enquanto José Maranhão aparece com 49,25%.

José Maranhão tem como vice o deputado estadual, Rodrigo Soares (PT), que só ficou com o cargo após ameaça de rompimento do Partido dos Trabalhadores. Antes do petista, Maranhão tinha convidado para o posto o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), e depois o seu irmão o deputado federal, Vitalzinho (PMDB). Os dois recusaram ao convite.

O peemedebista já possui 10 anos de governo. Ele chegou ao Executivo Estadual em 2009 após a cassação de Cássio Cunha Lima (PSDB). Na reta final da campanha, se licenciou do cargo para ficar mais livre. Maranhão decidiu não participar dos debates com os demais candidatos e disse que não iria às atividades por falta de interesse nos confrontos.

Maranhão recebeu várias adesões de até então aliados de Ricardo Coutinho. Apesar da idade avançada, 77 anos, o peemedebista percorreu vários municípios paraibanos participando de atividades como caminhadas e arrastões em um único dia. Sua campanha foi marcada pelas grandes carreatas. Ele chegou a percorrer 9 municípios em um único dia.

O candidato foi alvo durante a campanha de ações na Justiça Eleitoral. A coligação adversária ajuizou quatro Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) contra ele, acusando-o de abuso de poder político e econômico.

O adversário de Maranhão, Ricardo Coutinho, deixou o comando da Prefeitura de João Pessoa para se candidatar ao posto de governador. O socialista havia sido reeleito prefeito com 73,85% dos votos. A sua gestão foi marcada por obras estruturantes, mas também por várias críticas na área de saúde. Coutinho era aliado de Maranhão, mas acabou rompendo com o peemedebista, uma vez, que tinha interesse de ser candidato.

Durante a campanha, Coutinho perdeu vários aliados, que deram como justificativa para o rompimento a falta de trato político e a arrogância do socialista. O ex-prefeito se aliou a grande adversários do passado, como o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o senador Efraim Morais (DEM). O fato não foi bem aceito em João Pessoa e fez com que o socialista tivesse perdas em sua aceitação.

Seu vice é o deputado federal Rômulo Gouveia (PSDB). O tucano, que é natural de Campina Grande, foi uma alternativa para que a chapa encabeçada por Coutinho conseguisse maios aceitação entre os campinenses.

A campanha do socialista teve como marca principal a realização da Caravana da Verdade. Em um ônibus todo adesivado, os integrantes da coligação percorreram vários municípios paraibanos. No final da campanha, o socialista apostou em propostas assistencialistas para atrair os eleitores. Primeiro disse que, se eleito, implantará o 13º do Bolsa Família no Estado, depois prometeu que reduzirá o valor das contas de água e de luz dos mais carentes.