Mancha rebate Mercadante e acredita em validade de chapa em São Paulo

Após a polêmica levantada por Aloizio Mercadante (PT), de que a soma dos candidatos ao governo de São Paulo que tiveram as chapas indeferidas poderiam levá-lo ao segundo turno, o candidato do PSTU, Luiz Carlos Prates, o Mancha, afirmou em entrevista no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) ter certeza de que seu caso será julgado favoravelmente a ele e sua candidatura será validada.

"A vice (Eliana Lúcia Ferreira) foi trocada, mas não deu tempo de homologar", justifica o candidato - que, segundo o TSE, tem 16.195 votos contados até a parcial das 21h42 (horário de Brasília). Os votos, porém, foram computados.

Questionado se há a possibilidade de seu recurso ser julgado favoravelmente a ele, Mancha afirmou com confiança: "totalmente".

Segundo ele, o problema junto ao TSE ocorreu por conta de problemas de assinatura em documentos apresentados à Justiça. Já de acordo com a assessoria de Mancha, o novo vice apresentado pela chapa do PSTU, Edison Nesladek Satiro, era candidato a deputado estadual pelo partido, e teria condições de substituir Eliana Lúcia Ferreira.