Brasil está pronto para ter mulher na presidência, diz Marina

Rio Branco - Após votar em Rio Branco (AC), onde nasceu, a candidata do Partido Verde (PV) à presidência da República, Marina Silva, afirmou que neste domingo (3) "há claramente a quebra do plebiscito" que se pretendia com a polarização da disposta entre Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB). "Há uma sinalização de que os brasileiros estão prontos para ter o feminino na presidência da República. Estão me levando para que as duas mulheres possam apresentar suas propostas e trajetórias com o tempo igual na televisão", disse.

 

Segundo Marina Silva, os brasileiros entenderam a mensagem de que é necessário "promover o encontro do Brasil consigo mesmo, mantendo as conquistas, corrigindo os erros e encarando os novos desafios". "Eu disse que era uma luta de Davi contra Golias. Neste primeiro turno, o Davi, com a sua funda, já rompeu o plebiscito, já rompeu o embate. Agora é um debate e com certeza iremos para o segundo turno para que o Brasil possa se manifestar e se encontrar", acrescentou.

 

A candidata do PV disse que sentia feliz com o que está vendo acontecer no País. Na avaliação de Marina Silva, o País está dizendo que quer manter as conquistas econômicas e sociais. "Mas agora é um segundo passo: o de romper o atraso na política e na visão de desenvolvimento e melhorar cada vez mais a vida dos brasileiros com proteção do meio ambiente", assinalou.

 

Questionada sobre o tratamento que dispensaria a José Serra, caso seja eleita para disputar com Dilma Rousseff o segundo turno eleitoral, a candidata do PV lembrou que desde o início tem dito que, se ganhar, vai compor sua base no Congresso e o governo com os melhores de todos os partidos, baseada em compromisso programático.

 

"Em nenhum momento fiquei cantando vitória antes do tempo. Quem ficou cantando vitória antes do tempo, já percebeu que a estratégia que tinham, de resolver as eleições de forma açodada no primeiro turno, já está completamente inviabilizada. Estarei disposta a conversar programaticamente com quem não estiver no segundo", afirmou Marina Silva.