Para Serra, não há necessidade de existir o cargo de vice

Um dia antes das eleições, o candidato à presidência da República pelo PSDB, José Serra, declarou que não vê a necessidade de existir vice e defendeu o fim do voto obrigatório. "Eu já votei para acabar com os vices e estabelecer voto facultativo, mas tivemos uma derrota descomunal", disse. A afirmação foi feita na noite deste sábado (2), durante entrevista para a Rede Mobiliza, que conduz a campanha do candidato tucano na internet.

"Eu não vejo necessidade para ter vice, porque vice foi uma coisa que se criou na época que o presidente mudava de País de navio. Na verdade, vice ficou como uma figura para composição política", disse.

O candidato voltou a criticar a posição de sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT) sobre a questão do aborto. "A Dilma deu entrevistas dizendo que era a favor do aborto e depois começou a escorregar. O mais grave nisso não é a decisão, é a ambiguidade. As pessoas tem que assumir o que pensam. Sempre tem quem gosta e quem não gosta. Eu tenho dificuldade de trabalhar com essas coisas ambíguas", enfatizou.

Em alusão ao jargão político que a candidata do PV, Marina Silva, vem usando na reta final da camapanha - "onda verde" - em referência à chegada ao segundo turno, Serra ressaltou mais uma vez que, ao contrário do que diz Marina, que o País é "verde e amarelo".

Durante entrevista, o presidenciável estava acompanhado do candidato ao governo pela sua chapa, Geraldo Alckmin. Os tucanos relembraram alguns momentos da campanha, trocaram elogios e pediram votos aos eleitores.

Descontraído em frente à câmera, Serra começou a falar sobre futebol, mas repensou e preferiu não continuar. "Ia falar de um time que não é o meu, mas é melhor deixar para lá. Na véspera da eleição a gente não fala nada que pode dar uma interpretação errada porque não dá tempo de explicar depois", finalizou.