Deputado da Paraíba é detido em quarto de hotel com R$ 52,9 mil

 

A Polícia Federal apreendeu no início da manhã deste sábado 52,9 mil em notas de cem reais em um quarto de hotel de luxo em Campina Grande, na Paraíba. Estavam hospedados lá o deputado estadual Jacó Maciel (PDT), um assessor dele e um vereador do município de Queimadas cujo nome não foi divulgado.

De acordo com informações do delegado Marcelo Bessa, a polícia federal cumpriu mandado de busca e apreensão concedido pelo juiz da 16ª Zona Eleitoral a pedido da própria PF. "Há dois dias, o serviço de inteligência monitorava a suspeita de posse de dinheiro para a captação ilícita de votos", disse.

A busca foi feita por volta das 5h30 quando, além do dinheiro, foram encontrados documentos, anotações em um caderno, agendas e papéis avulsos. Segundo o delegado, o material evidencia a possível prática de crime eleitoral.

Todo o material foi apreendido e será encaminhado para o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba. "Ninguém foi preso porque não havia situação de flagrante", explicou o delegado, informando que o crime previsto do art. 299 do código eleitoral só se concretiza com a conduta de dar, receber, oferecer ou solicitar dinheiro ou vantagem para obtenção do voto.

Por se tratar de um deputado estadual, a PF só vai instaurar inquérito se houver solicitação do TRE-PB.

Jacó Maciel desistiu de concorrer à reeleição depois que o Tribunal Regional Eleitoral (TER) indeferiu sua candidatura ao entender que o parlamentar não estaria apto a concorrer ao pleito deste ano por ter sido condenado em 2004 por envolvimento captação ilícita de sufrágio.

Mesmo com a impugnação de sua candidatura, Jacó Maciel ingressou com recurso no TSE para, segundo ele, evitar problemas futuros com pedidos de candidaturas. A candidatura acabou sendo aprovada pelo ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marcelo Ribeiro, relator do recurso impetrado pelo parlamentar contra a decisão da Justiça Eleitoral da Paraíba. Após a desistência, Jacó anunciou apoio às candidaturas dos deputados Manuel Ludgério para deputado estadual e Aguinaldo Ribeiro para federal.