TRE decide manter candidatura do Psol em Sergipe

"Eu continuo candidata ao governo do Estado e peço ao povo de Sergipe que votem em mim", declarou a candidata Avilete Cruz (Psol), após ter a sua candidatura retirada pelo diretório estadual do seu partido que, na manhã desta sexta-feira (1), encaminhou para o diretório nacional do partido o seu processo de expulsão.

A decisão foi tomada, por unanimidade, pelos dirigentes do partido após Avilete ter chamado a candidata à presidência da República, Dilma Rousseff, de "terrorista", ao dirigir uma pergunta para o candidato à reeleição, Marcelo Déda (PT), durante debate realizado na TV Sergipe, afiliada à Rede Globo no Estado, na última quinta-feira (28).

A determinação do PSOL foi comunicada, oficialmente, na manhã de hoje, ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Porém, o juiz ouvidor do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Anselmo Oliveira, avisou que não haverá mudanças nas urnas eletrônicas. Portanto, a candidatura de Avilete permanece.

"Nunca soube de uma situação assim na história do Tribunal, agora vamos conhecer os argumentos do partido para analisar o pedido. O Ministério Público Eleitoral também deverá se manifestar e depois o pleito irá decidir sobre a questão. Na urna vão aparecer a foto e o número da candidata e ela poderá até receber votos, sendo que serão considerados nulos e não farão parte do total de votos válidos" explicou.

De acordo com o presidente do diretório estadual do Psol, Heitor Pereira Alves Filho, outros motivos levaram o partido tomar essa decisão. "A postura dela no debate foi a gota d'água. Avilete fez um programa de governo sem comunicar ao partido, registrou no TRE e retirou o que já estava no tribunal. Esse foi mais um problema que tivemos com ela", disse.

Sem a chapa majoritária, o Psol está indicando aos seus filiados que votem nos candidatos do PSTU (Vera Lúcia) ou no PCB (Leonardo Vitor), mas que continuem trabalhando para eleger os candidatos a senador, deputado federal e aos quatro membros que disputam uma vaga na Assembleia Legislativa de Sergipe.

De posse de vários documentos, inclusive uma queixa policial contra o que classificou de perseguições e humilhações dentro do partido e ainda de e-mails internos denegrindo a sua imagem, Avilete afirma que irá pedir a expulsão de todas as pessoas que assinaram o pedido de impugnação a sua candidatura.