No debate da Rede Globo, Serra e Dilma se evitam e Marina busca 2º turno

Durante o último debate entre os presidenciáveis antes do primeiro turno, no único momento em que José Serra (PSDB) teve a oportunidade de dirigir uma pergunta à sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT), o tucano se desviou da petista e o confronto entre os dois candidatos mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto não ocorreu. A oportunidade aconteceu na abertura do terceiro bloco do programa realizado pela Rede Globo nesta quinta-feira (30). A surpresa da vez, ficou por conta da candidata do PV, Marina Silva.

Ainda durante o primeiro bloco ao ser perguntada sobre aposentadorias, a candidata do PV, Marina Silva, disparou contra os governos FHC e Lula e prometeu que se eleita irá realizar uma reforma na previdência. "O meu compromisso é de que nós vamos encarar as grandes reformas. E a reforma da previdência é um vácuo em todos os governos. Dezesseis anos se passaram e não foi feito nada", afirmou.

Afiada, Marina ainda mirou ataques no Minha Casa Minha Vida. A verde afirmou que o programa do governo federal "não alcança os brasileiros de menor renda". Sobre saneamento, a candidata do PV ainda criticou Serra. "Eu fui lá na favela da Mata Virgem (em São Paulo). É lamentável que, no Estado mais rico da federação, não haja um equipamento público nessa favela (...) essa questão de tratar as coisas como passe de mágica é que precisa acabar no Brasil".

Na última rodada, Marina afirmou que Serra não responde as perguntas. Em sua réplica, Serra disse que não faz comparações, "apesar de Marina e Dilma serem parecidas". "A Marina fez parte do governo Lula e estava lá na época do mensalão", disparou. O tucano disse que está entre as pessoas que criou o Bolsa Família, pois criou o Bolsa Alimentação e outros programas feitos pelo PSDB que o governo Lula juntou tudo e transformou no Bolsa Família.

No segundo bloco do debate global, um momento espinhoso para a candidata de Lula. Perguntada por Plínio o motivo de não citar seus correligionários petistas em suas falas e se tinha vergonha da legenda, Dilma disse que o PT "é o maior partido de massa do País". Aí vem a fala que provocou a reação da plateia: "eu gostaria de dizer que nós registramos todas as doações no Tribunal Superior Eleitoral", diz Dilma. Parte da plateia ri quando a candidata afirma que "nós (PT) registramos todas as doações oficiais no TSE". Sem pestanejar, a ex-ministra da Casa Civil retruca, lamentando a reação das pessoas "que tem outras práticas". Aplausos silenciaram os risos dos adversários.

Mais recatado que nos últimos debates, mas sem deixar suas "tiradas" de lado, o candidato do Psol, Plínio de Arruda Sampaio, afirmou que ficou muito claro que há duas propostas distintas. As propostas das soluções radicais e a proposta dos outros que focam nos interesses da classe dominante. O socialista disse que o governo federal atual faz a mesma coisa que o governo tucano fez em gestões anteriores. "Os dois governos são oriundos das classes dominantes", disse. Para Plínio, eles seguem aos interesses desse setor e não da população mais pobre.