Dilma nega "escorregão" ao comentar doações em debate

 

A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, disse na tarde desta sexta feira (1), em Porto Alegre, que não cometeu nenhum "escorregão" ao falar sobre suas doações de campanha no debate de quinta-feira realizado pela TV Globo.

"As minhas doações são legais. Se eles riram é porque as deles não são. Agora, eles, vocês descubram quem são", disse Dilma aos jornalistas durante coletiva realizada no antigo terminal de cargas do Aeroporto Internacional Salgado Filho.

Diante da insistência dos jornalistas para apontar sua preferência entre José Serra (PSDB) ou Marina Silva (PV), no caso de a eleição presidencial ter segundo turno, Dilma brincou. "Eu não respondo nem amarrada a uma pergunta dessa."

A candidata petista também voltou a falar sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito da exigência de apenas um documento para votar e da suposta ligação telefônica que o ministro do STF Gilmar Mendes teria recebido de Serra durante a votação. "Eu não faço ilação porque eu não tenho provas. Agora, sem sombra de dúvida, se foi, eu acho muito grave", disse Dilma para em seguida completar. "Não acredito que o ministro Gilmar Mendes faria isso."

A respeito da questão da obrigatoriedade de dois documento, Dilma disse que é uma visão "meio preconceituosa" acreditar que só os segmentos populares serão beneficiados. "Acho que beneficia a todas as camadas", concluiu a candidata.