CNI/Ibope: Caso Erenice é lembrado por 20% do eleitorado

      BRASÍLIA - Pesquisa formulada pelo Instituto Ibope e divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta sexta-feira aponta que 20% do eleitorado se recordam espontaneamente das denúncias de irregularidades envolvendo a ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra. O assunto aparece na liderança dos temas mais lembrados pela população, superando até o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à candidata Dilma Rousseff (PT) na corrida presidencial, que tem 14%.

Entre as diversas denúncias contra a ex-ministra, reportagem da revista Veja aponta que o filho da ministra, Israel Guerra, teria recebido R$ 5 milhões da MTA Linhas Aéreas como "taxa de sucesso" na intermediação de uma transação. Matéria do jornal Folha de S. Paulo, por sua vez, mostra que os donos da empresa EDRB do Brasil Ltda, interessada em instalar uma central de energia solar no Nordeste, foi orientada por um servidor da Casa Civil a procurar a Capital Consultoria, empresa aberta em nome de Saulo Guerra, filho de Erenice Guerra. A Capital teria pedido 5% do valor do empréstimo do BNDES para garantir o crédito.

Além dessas denúncias, a situação de Erenice ficou ainda mais desgastada quando ela divulgou nota na qual se referia ao presidenciável tucano José Serra como "derrotado" e "aético". A estratégia da campanha de Dilma Rousseff era a de evitar o cunho eleitoral das denúncias, mas a ministra demissionária lembrou o pleito de outubro em sua própria nota.

Também entre as acusações lembradas pelos entrevistados do Ibope, as suspeitas de que funcionários da Receita Federal vazaram informações sigilosas em supostos dossiês contra pessoas ligadas ao presidenciável tucano José Serra aparecem na terceira colocação, com 10% de recall.

A despeito de o noticiário negativo ao governo Lula liderar o conhecimento do eleitorado, conforme divulgou a CNI na última quarta, a candidata governista na corrida presidencial, Dilma Rousseff, tem 55% dos votos válidos contra 30% de José Serra tem 30% e outros 14% de Marina Silva. Por essa perspectiva, se as eleições fossem hoje, a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, estaria eleita no primeiro turno.

A margem de erro da pesquisa CNI/Ibope, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 33162/2010, é de dois pontos percentuais.