Na TV, Serra mostra família e Dilma volta a conversar com Lula

Em tom ameno, os programas dos candidatos à presidência José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) no último dia de horário eleitoral gratuito não fizeram ataques aos adversários, que não foram sequer mencionados. O tucano explorou seu papel de pai de família. Imagens mostraram almoços de domingo em que ele participa com os filhos, netos e a mulher, Mônica Serra.

O candidato chegou até a cantar uma música antiga de carnaval com a qual ninava os filhos. "Eu gosto de música clássica, gosto muito de música popular antiga", comenta o tucano, sentado no sofá ao lado da filha Verônica. Ela então pede ao pai que cante uma canção, lembrando que ele "é muito afinado". "Chinês come só uma vez por mês", cantarola Serra.

Já Dilma voltou a colar sua imagem à do presidente Lula nesse último dia de campanha na televisão. O programa da petista dividiu-se em trechos dedicados às cinco regiões do País, mostrando feitos atribuídos do governo federal e destacando as características de cada uma: Região Norte, onde estão as florestas e a Zona Franca de Manaus, Região Sul, onde há a força da agricultura, da indústria e das cooperativaa, Região Centro-Oeste, na qual está concentrada a produção de alimentos, Região Nordeste, destacando os programas sociais de transferência de renda e Região Sudeste, onde "o País vai continuar crescendo com distribuição de renda e igualdade social".

José Serra também destacou os projetos nas áreas da saúde, do transporte e da educação. Além disso, mostrou imagens de pessoas elogiando seus feitos quando ministro da Saúde e governador de São Paulo, dando destaque para depoimentos de nordestinos. Na sua fala, Serra prometeu "governar por uma economia forte, por um Brasil que proteja os mais fracos e os desamparados". Também reafirmou que fará um governo "que não seja refém de partidos políticos". Ao final, pediu o voto ao eleitor.

Enquanto isso, a petista manteve uma conversa com Lula, assim como fez no seu primeiro programa, ambos em diversos cenários. Dilma apareceu em Fortaleza, no Ceará, e em Ouro Preto, em Minas Gerais, Estado onde nasceu. Lula esteve no Rio Grande do Sul, Paraná e em São Paulo. Ao final, ambos apareceram lado a lado. "Você que acredita em mim, que acha bom o meu governo. Igual a mim, Dilma gosta dos pobres (...) votar na Dilma é votar com a certeza de um governo muito melhor", afirma Lula ao lado da candidata, que responde: "agradeço de coração o apoio do presidente Lula e de todos vocês". Ao final, o programa ressaltou que, nestas eleições, são necessários dois documentos para votar: o título de eleitor e outro com foto.

Marina Silva e Plínio

O programa de Marina Silva, candidata do PV à presidência, ressaltou seu crescimento nas últimas pesquisas de intenção de voto, e afirmou, baseando-se nesses índices, que é "a única capaz de derrotar Dilma em um segundo turno". "Quero chamar todo mundo nessa onda verde, especialmente as mulheres que lutam para manter suas famílias (...) Jovens, façam da nossa campanha um alto falante para o Brasil ouvir a voz de vocês", disse a ex-ministra do Meio Ambiente.

Plínio de Arruda Sampaio (Psol), em seu pouco tempo na TV, pediu o voto e o apoio para construção de um País mais justo e igualitário. "Quero, sobretudo, a alegria de construir um grande País", disse o candidato socialista.