Na reta final, Alckmin faz campanha em sua cidade natal

Como se pedisse benção a Nossa Senhora do Bom Sucesso, o candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, esteve no último dia de campanha em seu reduto eleitoral, em Pindamonhangaba, interior Paulista.

Assim como fez ao longo de toda a campanha política, que durou dois meses, o tucano caminhou com eleitores, distribuiu santinhos e bradou contra a oposição que o acusa de fugir do confronto direto.

"O PT tenta limitar a expressão da imprensa com projetos para a criação de conselhos e agora quer dizer para quem eu preciso perguntar. Em um debate todos são iguais não preciso gerar um bate-boca entre os candidatos", retruca o postulante ao Palácio dos Bandeirantes.

Acompanhado de políticos regionais, Alckmin também afirmou que se eleito irá promover para a região do Vale do Paraíba o que ele chamou de "revolução dos polos tecnológicos", trazendo mais ETECS e promovendo a ciência como um todo.

"Acredito muito no potencial regional por isso pretendo ampliar a rede de Faculdades de Tecnologia principalmente para atrair novos investimentos para o cone leste paulista", afirmou o postulante ao governo paulista.

Apesar da sonora queda nas pesquisas de intenções de voto as vésperas do pleito, segundo aponta pesquisa DataFolha, o político foi enfático e disse que não está de acordo com o levantamento feito pelo instituto.

"As pesquisas diárias feitas pelo partido apontam o contrário, estamos em uma ampla estabilidade perceptível na rua. Esperamos até domingo registrar um avanço nos números e consolidar a vitória", explicou Alckmin.

Presente também no corpo a corpo com os eleitores, o candidato ao senado pelo PSDB, Aloysio Nunes, classificou como antidemocrática a tentativa do PT em associar a campanha tucana a um esquema de favorecimento empresarial durante o processo licitatório do Metrô de São Paulo.

Segundo Aloysio, a estratégia do PT é um "jogo sujo", onde o objetivo maior é "jogar areia" nos olhos dos eleitores e associar uma imagem ruim a campanha eleitoral.