Marina sobre ligação de Serra: instituições devem ser neutras

De forma sutil, a presidenciável Marina Silva (PV) condenou a atitude de seu adversário José Serra (PSDB) que, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, foi flagrado na última quarta-feira (29) telefonando para o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, durante o julgamento pela obrigatoriedade da apresentação de dois documentos por parte dos leitores no momento do voto.

Questionada sobre o caso, Marina afirmou que durante a campanha não quis "resvalar para qualquer atitude de oportunismo em relação ao interesse político eleitoral". "Não fiz o movimento unicamente eleitoreiro", declarou.

"Tenho insistido que é fundamental que as instituições funcionem de forma neutra. Obviamente que cada partido ou segmento que tem questões sendo julgadas faz audiência com os ministros, mas o importante é que se tenha uma decisão justa, não em função de alinhamento político", disse Marina.

A candidata se manifestou de forma contrária a obrigatoriedade dos dois documentos para votar. Para ela, não houve tempo necessário, nem divulgação suficiente para que todos os cidadãos estivessem informados sobre isso.

Fazendo um balanço sobre o primeiro turno das eleições, Marina considera que questões fundamentais do processo político não foram debatidas de maneira satisfatória. Para a senadora, o debate pautado por PT e PSDB ficou centrado na discussão sobre quem seria o melhor herdeiro dos governos Lula e FHC ou quem seria o melhor gerente para tomar conta do País.

Ela disse ainda que sua candidatura é a única capaz de concorrer efetivamente com a de Dilma Rousseff (PT) num eventual segundo turno. "A candidatura do PSDB até pelos erros que cometeu com certeza não tem essa viabilidade, teríamos uma repetição do que houve em 2006", analisou.

Por fim, a candidata do PV assumiu um compromisso público de, caso chegue ao segundo turno na disputa, iniciar a nova fase da campanha num município do interior do estado de São Paulo, chamado "onda verde" - a cidade é homônima do bordão que a candidata adotou para explicar seu crescimento junto ao eleitorado.

Na noite desta quinta-feira (30) a candidata deverá participar do debate entre os principais candidatos à presidência da República, promovido pela Rede Globo, às 22h.