Em Minas, TRE manda apreender propaganda contra Itamar

Atendendo à determinação da Justiça Eleitoral, a Polícia Militar retirou das ruas de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (30), vários cartazes e placas irregulares que atacavam a campanha do ex-presidente Itamar Franco (PPS), que disputa o Senado. Nos cartazes constavam os dizeres "Não faça Itamerra. Itamar. Serra" - citando o candidato do PSDB à presidência, José Serra. Em outro material, aparecia a frase "parece mania, com Itamar Minas parou... ele agora é contra Dilma".

Em outras placas, também apreendidas, apareciam juntas as imagens de Aécio Neves (PSDB), Fernando Pimentel (PT), candidatos ao Senado, e da presidenciável Dilma Rousseff (PT). Eles são citados no material como "time dos sonhos". A coligação "Somos Minas Gerais" e o PPS, autores da ação, consideraram que a propaganda prejudicava a campanha de Itamar, segundo colocado nas pesquisas.

A sentença determinando a apreensão foi dada pelo juiz eleitoral Octávio Augusto de Nigris na segunda-feira (27), mas só foi divulgada nesta quinta (30) para que os responsáveis não tomassem conhecimento do mandado de busca e apreensão.

De acordo com a Justiça Eleitoral, várias irregularidades motivaram a retirada do material de circulação. Na ação, os denunciantes citam a ausência do nome do suplente do candidato Pimentel e a do concorrente a vice-presidente, já que Dilma é citada e consta sua imagem nas peças publicitárias.

Na sua sentença, o juiz reforça que apenas o nome da coligação e dos partidos estão legíveis. "As demais informações, como CNPJ do responsável pela propaganda e tiragem, estão desfocadas e ilegíveis". De acordo com o advogado da coligação "Somos Minas Gerais", José Sad, como parte do material foi encontrado em comitês da coligação "Todos juntos por Minas", ela foi alvo da denúncia no processo, e não um candidato ou partido especificamente.

A assessoria do candidato Pimentel disse que ele não tem qualquer ligação com a confecção das placas apreendidas.