Candidatos ignoram regras no último horário gratuito, no Rio Grande do Sul

O último dia do horário eleitoral gratuito na TV no Rio Grande do Sul, nesta quinta-feira (30), foi marcado pela desconsideração às regras. Ignorando decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS), o programa da noite da coligação Confirma Rio Grande, que tem a governadora Yeda Crusius (PSDB) como candidata à reeleição, trouxe Yeda conversando com os telespectadores e pedindo que confiem nela para um segundo mandato.

A fala de Yeda é aquela que devia ter ido ao ar na quarta-feira (no último dia do horário eleitoral para os candidatos ao governo, ao Senado e a deputados estaduais), mas que foi cortada por decisão do TRE, que determinou que a coligação perdesse 2 minutos e 26 segundos do programa de quarta por Yeda ter utilizado anteriormente espaço destinado a deputados estaduais. O programa desta quinta deveria ser utilizado apenas por candidatos à presidência da República e a deputados federais.

Nesta sexta-feira (31), a Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Sul (PRE-RS) deverá decidir se ingressa com representação no TRE em relação ao fato.

Além da decisão que cortou o último programa de Yeda, antes do horário eleitoral desta noite, o TRE já havia expedido outras duas determinações. A primeira condenando a coligação Unidade Popular pelo Rio Grande, o PT e o candidato ao governo da coligação, Tarso Genro, a se absterem de veicular no horário eleitoral gratuito da TV à noite a peça em que o candidato aparecia no espaço da chapa proporcional. A peça havia sido veiculada no programa da tarde.

A segunda condenou a Coligação Juntos pelo Rio Grande e seu candidato ao governo, José Fogaça (PMDB), a se absterem de repetir o trecho de apoio do senador Pedro Simon (PMDB) ao candidato Fogaça, veiculado à tarde no horário eleitoral gratuito da TV para a proporcional.