TRE-TO proíbe imprensa de repercutir denúncias de candidato

 

O Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) proibiu na sexta-feira (24) a publicação de dados referentes ao processo que investiga o atual governador do Tocantins e candidato à reeleição, Carlos Gaguim (PMDB).

Segundo reportagem divulgada pela Folha de S. Paulo, neste sábado (25), o governador é suspeito de participar de fraude de licitações e desvio de R$ 615 milhões.

A decisão liminar foi solicitada pela coligação de Gaguim após matéria veiculada pela TV Anhanguera, sobre as denúncias. A chapa do atual governador também acusa o adversário Siqueira Campos (PSDB) por "abusos e transgressões tomando por base a reportagem da TV Anhanguera", já que imagens da reportagem foram usadas no programa eleitoral do tucano.

O desembargador Liberato Póvoa concordou com o governador e, em sua decisão, determina que "todos os meios de comunicação abstenham-se da utilização, de qualquer forma, direta ou indireta, ou publicação dos dados relativos ao candidato Carlos Henrique Gaguim ou qualquer membro de sua equipe de governo, quanto aos fatos investigados pelo Ministério Público de São Paulo".

A coligação ainda argumenta que a imprensa conseguiu as informações de maneiras ilegais já que a investigação corre em segredo da justiça. Os meios de comunicação notificados - entre eles o jornal Estado de S.Paulo, jornais locais e afiliadas de TVs em Tocantins - terão que pagar multa por descumprimento da liminar concedida.