Ibope aponta Genro à frente mas com segundo turno no RS

 

O petista Tarso Genro segue à frente com larga vantagem na disputa para o governo no Rio Grande do Sul, conforme pesquisa Ibope encomendada pelo Grupo RBS e divulgada neste sábado (25). No levantamento, Genro aparece com 44% das intenções de votos. Em segundo lugar está o peemedebista José Fogaça, com 26%. A governadora Yeda Crusius (PSDB), candidata à reeleição, tem 17%. Pedro Ruas (Psol) e Júlio Flores (PSTU) possuem 1% cada. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somam 4% e indecisos, 7%.

A diferença desta pesquisa Ibope em relação aos últimos levantamentos é que aponta para a realização de segundo turno. Considerados apenas os votos válidos, Genro tem 49%, Fogaça 29% e Yeda 19%. Os três aumentaram seus índices em relação ao levantamento anterior, realizado entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro. Genro e Fogaça subiram três pontos cada e Yeda, quatro. Em relação a rejeição dos candidatos, Yeda possui 35%, Genro 11% e Fogaça 8%.

A pesquisa também mediu as intenções de voto dos gaúchos para a presidência da República. Dilma Rousseff (PT) tem 49%, José Serra (PSDB) 32% e Marina Silva (PV) 10%. Plínio de Arruda Sampaio (Psol) possui 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos são 3% e indecisos, 5%. Em relação ao levantamento anterior do Ibope, Dilma cresceu cinco pontos no estado, Serra perdeu cinco e Marina ganhou quatro.

Outra parte da sondagem foi sobre como os entrevistados avaliam as administrações da governadora Yeda Crusius e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Pela pesquisa, 32% consideraram o governo Yeda como ótimo ou bom, 30% como regular e 34% como ruim ou péssimo. A avaliação do governo Lula foi 76% como ótimo ou bom, 17% como regular e 5% como ruim ou péssimo.

O levantamento foi realizado entre os dias 21 e 23 de setembro com 1.008 entrevistados e a margem de erro é de três pontos percentuais. Está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 48.967/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo número 31.692/2010.