Dilma não atribui queda em pesquisa a denúncias na Casa Civil

Rio - Durante compromisso no Rio de Janeiro neste sábado (25) ao lado do governador e candidato à reeleição Sérgio Cabral (PMDB), a presidenciável Dilma Rousseff (PT) afirmou não ver relação entre as denúncias de corrupção na Casa Civil, quando era ministra, com sua queda de cinco pontos em relação à soma dos demais candidatos, segundo pesquisa do Ibope divulgada na sexta-feira (24).

"Minha querida, tem uma pesquisa que me dá 49%, outra que me dá 50%, outra 51%, você entende? Eu estou na margem... de um ponto, dois pontos, eu não vejo nenhum problema, entende?", disse. "Pesquisa é o retrato de um momento. A eleição é daqui a nove dias", ponderou.

O Terra perguntou à candidata sobre a investigação da Polícia Federal em relação a documentos que comprovam que um montante de R$ 120 mil teria sido pago pelo empresário Fabio Baracat a Israel Guerra, filho de Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil, conforme reportagem publicada no jornal O Estado de S.Paulo na edição deste sábado (25), mas ela não respondeu.

Segundo o jornal, um comprovante bancário em poder da Polícia Federal mostra que, em 24 de dezembro de 2009, o empresário Fábio Baracat, respresentante da MTA em Brasília, teria feito uma transferência eletrônica de sua conta bancária, no valor de R$ 120 mil, para a conta da Capital Assessoria, empresa de Israel Guerra e de Vinicius Castro, então assessor da Casa Civil. O pagamento foi feito seis dias após a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), em decisão emergencial, uma punição que proibia a MTA de operar por falta de documentos.

Visita ao Rio de Janeiro
Após chegar elogiando a "parceria" com Cabral e prometer continuidade, ela deu uma breve entrevista coletiva de dez minutos e visitou o mirante que faz parte do Complexo Rubem Braga e virou atração turística. Foi a oitava visita de Dilma ao Rio de Janeiro desde o início oficial da campanha, em julho. A candidata apertou a mão de algumas crianças que estavam paradas no local em que deu a entrevista.

Dilma, ciceroneada por Cabral, conheceu o Complexo Rubem Braga, um conjunto de escadas e elevadores para facilitar o acesso dos moradores ao Morro do Cantagalo, em Ipanema (Zona Sul) e que faz parte de obras em parceria dos governos federal e estadual. Ela também foi acompanhada do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), dos candidatos ao Senado Lindberg Farias (PT) e Jorge Picciani (PMDB) e do presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra.

A pesquisa que mostra queda de 14 para 9 pontos na diferença entre Dilma e os demais candidatos foi encomendada ao Ibope pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo e divulgada nesta sexta-feira (24), após ser registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 31.689/2010.