Na TV, Cabral relembra a prisão do pai pela ditadura, no Rio

O candidato à reeleição ao governo do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), relembrou uma passagem triste da sua vida no programa eleitoral de TV exibido nesta sexta-feira (24). Quando tinha sete anos de idade, ele visitou o pai, também Sérgio Cabral, famoso jornalista e historiador, preso pela ditadura na Vila Militar do Rio.

Segundo Cabral, esse trauma na infância o inspirou a lutar pelas causas políticas no colégio, no movimento estudantil, e mais tarde participar de manifestações a favor da redemocratização do País e pelas "Diretas Já".

"Na casa dos meus pais se respirava política em uma época em que não se respirava política no Brasil... Políticos de oposição ao regime militar freqüentavam a minha casa. Aquele momento, com sete, oito anos de idade, indo na Vila Militar visitar o meu pai, que estava preso. Aquilo mexeu comigo. Por que o meu pai está preso? O Ziraldo, o Fortuna, o Flávio Rangel, o Paulio Francis, o Millôr, o Jaguar. Por que essa turma está presa? O que eles fizeram? Contestaram o regime", relembrou Cabral no seu programa eleitoral.

O pai dele deu declarações de apoio à sua candidatura no programa eleitoral de TV. Magaly Cabral, professora, museóloga e mãe do candidato, também participou do programa.

"Eu tenho certeza absoluta que o que ele viu ali, a injustiça que era aquilo, a violência que era aquilo, que ali se estabeleceu de vez a convicção dele de que a democracia é melhor", destacou o pai de Sérgio Cabra, relembrando o tempo que ficou preso na Vila Militar. "Desde menino, ele conhece o povo do subúrbio, da favela e o povo da Zona Sul", continuou.