Mulher de Roriz diz ser candidata por amor ao marido

Brasília - A nova candidata do PSC ao governo do Distrito Federal, Weslian Roriz, afirmou nesta sexta-feira (24) que aceitou dar seguimento ao projeto político do marido, Joaquim Roriz, barrado pela Lei da Ficha Limpa, por amor a ele e para acabar com o "sofrimento" do político. Roriz acompanhou nesta madrugada o julgamento em que o Supremo Tribunal Federal (STF) analisava a abrangência e validade da legislação sobre novas regras de inelegibilidade.

"Como se fosse uma declaração de amor, quando vi meu marido sofrendo essa madrugada toda, não poderia em 50 anos de casada deixar meu marido passar pela humilhação que passou. Quero continuar a fazer o trabalho que o meu marido fez por Brasília. Tenho coragem e fé que Nossa Senhora e o Menino Jesus vai ajudar a administrar essa cidade com todo amor e carinho dessa mulher que toda a vida trabalhou por essa cidade", disse Weslian.

"Vou continuar, vou enfrentar junto ao meu marido, meu marido vai me ajudar porque ele tem coragem. Junto comigo, vai ser uma pessoa que vai dar muito conselho a mim", completou.

O STF destinou a quarta e quinta-feiras desta semana para julgar em plenário recurso impetrado pela defesa de Joaquim Roriz, que teve o registro de sua candidatura barrado por ter renunciado ao mandato que tinha como senador em 2007 no intuito de se livrar de um processo de cassação.

A abdicação de mandato para paralisar processos de quebra de decoro é uma das novas regras de inelegibilidade incluídas na Lei da Ficha Limpa. O STF, no entanto, não chegou a uma decisão definitiva sobre a validade da legislação já em 2010. Após mais de treze horas de julgamento nesta quinta, perfazendo um empate em cinco votos a cinco, os ministros optaram por não proclamar o veredicto final.

Com a renúncia de Roriz, é possível que o STF arquive o caso por perda de objeto, uma vez que toda a análise sobre a Ficha Limpa levava em consideração um recurso específico do ex-governador.