Na TV, Serra pede votos para Aécio, e Lula para Hélio Costa

Depois de semanas sem dar o ar de sua presença, o presidenciável tucano José Serra apareceu no programa eleitoral gratuito de TV do candidato ao Senado e ex-governador Aécio Neves (PSDB). Na peça publicitária, ele afirma que, eleito presidente da República, irá "honrar compromissos que assumiu com Aécio e (Antonio) Anastasia (candidato ao governo pelo PSDB) para Minas Gerais". Em um rápido depoimento, afirmou que é preciso investir em estradas, na saúde e na educação no Estado.

Já no horário reservado ao candidato a governador Hélio Costa (PMDB), quem comandou a cena foi o presidente Lula. Sentados em um sofá, os dois batem papo sobre o cenário político em Minas. Também estão presentes Fernando Pimentel (PT), candidato ao Senado, e Patrus Ananias (PT), vice de Costa. "Eu acho, Hélio, que temos que mostrar as diferenças das ações do meu governo das ações de governos anteriores para Minas Gerais", alfinetou.

Lula voltou a tocar na questão dos investimentos na saúde. "Muitos estados não cumprem os 12% em saúde pública". O tema virou motivo de rusgas entre o presidente e o ex-governador Aécio. Em comícios no Estado, Lula chegou a afirmar que Minas não aplica os investimentos no SUS.

O presidente apelou para a "mineiridade" da presidenciável Dilma Rousseff (PT) para pedir votos aos eleitores do Estado. "Faz tempos que Minas não chega à presidência. Agora vai chegar uma mineira nascida em Belo Horizonte". Falando como se Dilma já estivesse eleita, ele ainda pediu o voto em Hélio Costa para garantir a afinidade entre os governos do Estado e federal.

Ajuda de Ciro

Já o programa do governador Antonio Anastasia contou com o reforço do ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PSB), amigo pessoal de Aécio Neves. Ciro exalta o "jeito novo de governar" dos dois tucanos. No depoimento, o socialista disse que não iria se "aventurar" a pedir que os mineiros votem em Anastasia. "As questões de Minas são decididas em Minas", disse, com ares de forasteiro assumido.

A estratégia foi, como têm feito Aécio e Anastasia, zombar da campanha de Hélio Costa, que tem o apoio "externo" do presidente Lula e de Dilma Rousseff. Em várias ocasiões, para tentar barrar o efeito do apoio de Lula na disputa mineira, Aécio afirmou que a presença dele na campanha se tratava de "intervenção externa".

Em comício na cidade mineira de Juiz de Fora, na semana passada, o presidente rebateu a insinuação, sugerindo, sem citar nomes, que Aécio e Anastasia acham que Minas é uma espécie de "quintal" de sua propriedade, onde quem manda são eles.

Senado

Além da campanha de Hélio Costa, Lula voltou a pedir votos na TV para o candidato ao Senado Fernando Pimentel, que aparece em terceiro lugar nas pesquisas no Estado, atrás de Aécio e Itamar Franco (PPS). O reforço de Lula é considerado estratégico para o petista, que cresceu nas pesquisas, mas não conseguiu ultrapassar Itamar desde o início da campanha.

O ex-presidente, aliás, voltou a usar de forma mais incisiva na TV sua relação com a criação do Plano Real. No programa, depoimentos falam de Itamar como o político que "abriu caminho para o desenvolvimento do Brasil de hoje" e relembram o período de inflação descontrolada, que precedeu o programa econômico.